Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

COVID-19: CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS Saúde, Segurança, Resiliência

Previous Next
IDT-N°/ : 4990
Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Chegou do nada e propagou-se com facilidade. Invadindo o espaço e a vida das pessoas. É contagioso e pode provocar a morte. Temos assim, a humanidade de joelhos; vergada ao medo, sujeita a uma dura prova e humilhação! Impensável, ainda há bem pouco tempo, observar o mundo agrilhoado por algo invisível; suspenso num pavor e fragilidade, impressionantes! Onde a própria liberdade e segurança estão limitadas e atingidas, em profundidade obrigando aos mais complexos desígnios, decisões e procedimentos.

Um cenário surrealista, de causas e consequências imprevisíveis! Por tudo isso e pelo que possa advir foi decretado, o estado de emergência (14-A/2020), como resposta ao surto de pandemia COVID-19. O que  implica “recolhimento domiciliário”, como regra geral da população, forma adoptada de combate e de protecção. O não cumprimento de tais medidas incorre em coima e outros processos disciplinares; nalguns casos de violação é accionado um processo judicial. A gravidade desta situação que se prolongará, no mínimo até princípios de Maio levou os governos de Espanha e Portugal a fechar as suas fronteiras, com destaque para a fronteira da Madalena, em Lindoso. Uma situação extrema, como excepcional é a propagação do novo coronavírus.

Se é de estrema importância cuidar dos infectados e assim minimizar o numero de mortes, num apoio incondicional de todos, não deixa de ser considerável a protecção e a segurança dos cidadãos. Nomeadamente através dos agentes de vigilância permanentes assegurando, tanto à distância como presencialmente, um dispositivido de persuasão e segurança de extrema importância, em particular na gestão desta actualidade, de todo excepcional; parabéns a todos eles e muita força!

 Segurvez Segurança Privada - Projecto Fronteira Segura

Fronteira de Lindoso - Barreira vandalizada

 A fronteira da Madalena faz parte das fronteiras de encerramento obrigatório. Apesar de se encontrar fechada e trancada com barreiras de betão foi, mesmo assim, usada para passagem ilegal! Arrombada pelos infratores voltou a ser reposta e algo reforçada a sua interdição de passagem, devidamente assinalada.  A GNR que tomou conta da ocorrência disse desconhecer, “em que momento foi feita essa acção de vandalismo, quem foi o autor e se, até às 23 horas, passou mais alguém”; “perante a situação vamos ter de dar mais atenção e passar mais vezes”.

Tal facto, de graves contornos foi pensado e posteriormente sujeito a um aprofundado estudo levado a cabo pela Segurvez Segurança Privada, que rapidamente resultou num vantajoso projecto de segurança, destinado a cobrir todas as fronteiras do país; como se diz, para grandes males, grandes remédios. Esta proveitosa iniciativa teve de imediato, uma excelente receptividade por parte dos municípios e Guarda Nacional Republicana. Por se tratar de um projecto “dotado de meios tecnológicos, consiste na instalação de um sistema de segurança integrado, composto por videovigilância, detecção de intrusão e sistema de intervenção de voz no local e estará ligado à GNR permitindo, deste modo, a vigilância e o controlo remoto”.

A implementação deste sistema - inédito na sua concepção e de considerável préstimo nacional – vem assim facilitar o controlo e segurança nas fronteiras podendo ainda ser aplicado noutras situações públicas e/ou privadas. Tornando-se num bom registo laboral e profissional da Segurvez Segurança Privada, vocacionada para a inovação, assegurando com responsabilidade e profissionalismo a sua missão no âmbito da segurança e protecção, de pessoas e bens.

 

 

Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.

António Fernandes
Colaborador
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.
Textos deste autor:

RECOMENDADOS PARA SI

Últimos Tweets

Candidatura de Rui Gomes da Silva às eleições do Benfica formalizada na Luz https://t.co/1aF5z3dRXo
Francisco Guerreiro recusa financiamento de atividades tauromáquicas pela PAC https://t.co/Hg6x5sNqDW
"É necessário assegurar a diversidade geográfica da abertura das mesas de voto", Pedro Rupio https://t.co/rZo1l8mTns
Follow Jornal das Comunidades on Twitter