Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

Abate “exagerado” na mata do Camarido?

ID:N°/ Texto: 5249
Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

A denúncia foi feita por Liliana Silva, vereadora do PSD em Caminha, que acusou de se ter feito um abate “exagerado” de eucaliptos e pinheiros centenários na mata nacional do Camarido. E, a Câmara Municipal de Caminha salientou que “ a gestão da Mata do Camarido e a empreitada em causa é da exclusiva responsabilidade do Instituto da Conservação da Natureza e Florestas, a mais qualificada autoridade a nível nacional para a gestão florestal”.

A vereadora social democrata também acusou o instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, ICN, s de estar a realizar este abate com o intuito de vender a madeira.
Por sua vez, o instituto de Conservação da Natureza e das Florestas em comunicado fez saber que o abate de árvores em curso na Mata Nacional do Camarido, em Caminha, “respeita” o Plano de Gestão Florestal aprovado, em 2010, para aquela área. Esta é uma operação de “gestão tecnicamente adequada e sustentável, tomando em linha de conta critérios ambientais, sociais e económicos” da Mata Nacional do Camarido.

Segundo o ICNF, o Plano de Gestão Florestal, aprovado em 2010, e “alvo de publicitação” e de “apresentação na comunidade local”, é “um instrumento técnico que determina, no espaço e no tempo, as intervenções de natureza cultural e de exploração dos recursos, visando a produção sustentada dos bens e serviços por eles proporcionado e, tendo em conta as atividades e os usos dos espaços”.
“No âmbito dessa gestão e da sua permanente monitorização.

A referida intervenção iniciou a 3 de Fevereiro e provavelmente irá terminar esta semana. Ainda, segundo o ICN esta intervenção resultou da “identificação do arvoredo em risco, imediato ou potencial, em face da ponderação de diversos critérios e parâmetros, com destaque para a avaliação da sua estabilidade, a sua localização junto de edificações e infraestruturas e ainda a consolidação de faixas de gestão de combustível”.

As intervenções visam “a redução de densidade de povoamentos puros no âmbito da condução das parcelas de pinhal e desbaste progressivo de acácias no âmbito da reconversão de povoamento de acácias em povoamentos puros e mistos com pinheiro”.

Após esta intervenção está previsto diversas intervenções visando a consolidação de faixas de gestão de combustível, a diminuição de riscos e suscetibilidades e a salvaguarda da segurança e conforto aos utilizadores da Mata”, refere ainda o ICNF.

Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.

Isabel Varela
Jornalista / colaboradora
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.
Textos deste autor:

RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimos Tweets

Covid-19: Mais seis mortes e 291 novos casos nas últimas 24 horas em Portugal - DGS https://t.co/2ATPui9UEr
Educação. Formação. Competitividade https://t.co/FzewtfPKs8
Livro musical inédito em Portugal https://t.co/bKPj5dlp36
Follow Jornal das Comunidades on Twitter