Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

Criação da empresa pública Águas do Alto Minho

ID:N°/ Texto: 2875

Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa

“Criação da empresa pública Águas do Alto Minho reduzirá perdas de água e permitirá investir 2 milhões de euros na rede já este ano “
- avança autarquia Caminhense

Miguel Alves, presidente da Câmara Municipal de Caminha, já assinou o Contrato de Parceria para a criação da empresa pública Águas do Alto Minho, para gestão dos sistemas de água e saneamento no concelho e na região.

A assinatura dos documentos aprovados, no final de 2017, na Assembleia Municipal de Caminha, permitirá criar escala na gestão do sistema “sem que os Municípios percam capacidade de decisão nas questões fundamentais”, refere a autarquia local em comunicado. A nova parceria tem como objectivo “articular competências entre sistemas, promover uma maior eficácia através da redução das perdas de rede, garantir a qualidade da água e possibilitar o investimento de 75 milhões de euros nos próximos cinco anos, no conjunto dos sete Municípios aderentes”, sustentou o município Caminhense. Para Miguel Alves, líder da autarquia de Caminha, “a criação desta Parceira Pública vem dar uma resposta conjunta e articulada a várias questões fundamentais.

Primeiro e mais importante, garante o que os Municípios já têm dificuldade em garantir: a qualidade impecável da água que chega às nossas casas e um serviço de saneamento cada vez mais alargado; Depois, permite estancar o flagelo das perdas de água: em 2017, o Município de Caminha pagou 44,5% de água não facturada, ou seja, de toda a água que foi preciso comprar para o Município, apenas metade foi paga pelos consumidores, o restante foi água paga e deitada fora; Em terceiro e último lugar, com o protocolo assinado, vai ser possível candidatar a fundos comunitários, até ao próximo dia 28 de Fevereiro, um conjunto de investimentos em rede de saneamento nas freguesias de Venade e Azevedo, Moledo e Cristelo e Âncora, numa primeira vaga que terá continuidade nos próximos cinco anos”.

A concretização desta Parceria Pública decorrerá durante os próximos meses e terá impacto nos serviços de cada autarquia e no tarifário do sistema.

Pub

 

Isabel Varela
Jornalista / colaboradora
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.
Textos deste autor:

RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimos Tweets

Covid-19: Bruxelas autoriza tratamentos com antiviral Remdesivir na UE https://t.co/zyS81MAiag
Covid-19: Alemanha regista mais de nove mil mortes desde início da pandemia https://t.co/sRZob0Aue7
TAP: CDS quer Estado fora da empresa “logo que possível” https://t.co/kMeOVdLV3N
Follow Jornal das Comunidades on Twitter