Lisboa, 11 jul (Lusa) – Chefes de equipa de ginecologia e obstetrícia da Maternidade Alfredo da Costa, em Lisboa, apresentaram uma carta de demissão à administração, que afirma que a situação “está controlada e ultrapassada”.

Os profissionais que assinaram e entregaram a carta, a que a agência Lusa teve acesso, indicam que há falta de recursos humanos e que os profissionais estão exaustos.

Fonte oficial do Centro Hospitalar de Lisboa Central, que integra a Maternidade Alfredo da Costa, indicou que a carta foi entregue, mas que os profissionais se mantêm em funções e que a situação se encontra “controlada e ultrapassada”.

“Já alertámos várias vezes para a exaustão dos profissionais, que se agravará com o período de férias que se aproxima”, escrevem os chefes de equipa de ginecologia e obstetrícia da Maternidade, segundo a carta a que a agência Lusa teve acesso.

A notícia foi avançada pela Rádio Renascença e, entretanto, confirmada pela Lusa, que teve acesso ao documento e que falou com fonte oficial do Centro Hospitalar de Lisboa Central.

Pub