Um funcionário da Câmara Municipal de Caminha, que estava de baixa prolongada desde 2012, morreu menos de uma semana depois de ser considerado apto para trabalhar pela Caixa Geral de Aposentações.

A ADSE , em 2016 Instituto mandou o processo para a Caixa para que fosse atribuída a aposentação, mas que nunca aconteceu ao trabalhador diagnosticado com cancro linfático.

«Na semana passada, recebemos na Câmara a comunicação por parte da Caixa Geral de Aposentações de que o trabalhador estaria apto para o serviço. E a coincidência grotesca foi que três ou quatro dias depois, o trabalhador faleceu. E para nós, que conhecíamos, era uma pessoa acarinhada aqui na vila, foi uma situação chocante» afirmou Miguel Alves, presidente da Câmara Municipal de Caminha.

José António Rosário Godinho, jardineiro de 56 anos, estava internado por duas semanas no IPO do Porto, onde acabou por morrer.
Segundo se sabe o Ministério da Segurança Social afirmou que a análise baseia-se na informação dos relatórios e garante que está a analisar o caso.

Pub