>

NOTA! Luso.eu usa cookies e tecnologias similares. Se você não alterar as configurações do navegador, você concorda com isso.

Saiba mais aqui

Compreendi

Comandante dos Bombeiros de Vila do Conde admite estar “sem pessoal" para prestar socorro

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Vila do Conde, Porto, 10 fev (Lusa) - Os Bombeiros Voluntários de Vila do Conde estão sem capacidade de resposta para prestar socorro à população após o pedido de passagem à inatividade de 60 bombeiros, alertou hoje o comandante da corporação.

Em declarações à Agência Lusa, Joaquim Moreira lembrou que na sexta-feira cerca de 60 bombeiros voluntários "apresentaram um pedido de inatividade do quadro" deixando o contingente muito deficitário.

"Não tenho pessoal para responder às necessidades. Desde ontem [sexta-feira] que já não é possível fazer alguns serviços. Se já é difícil numa situação normal, imagine agora com bem menos bombeiros", desabafou o comandante vila-condense.

Questionado se com esta incapacidade de resposta segurança da população local está posta em causa, Joaquim Moreira reconhece que "o tempo de resposta não será o ideal".

"A Autoridade de Proteção Civil está dentro do problema e em função da localização vai fazer deslocar outros meios mais próximos. A ajuda não está em causa, porque haverá sempre outros meios, mas a resposta imediata é que poderá falhar", explicou.

O comandante dos bombeiros vila-condenses não confirmou que haja uma paragem total, dizendo que é possível "acionar alguns meios," mas vincou que "não há gente suficiente para responder a uma situação grave".

José Pedrosa, um dos 60 bombeiros que na sexta-feira assinaram um pedido de inatividade do quadro com efeitos imediatos, garantiu que a situação só inverterá "quando a presidente da direção se demitir".

"Tudo o que vier a acontecer é da responsabilidade da direção", apontou o bombeiro.

Os voluntários de Vila do Conde têm apontado nos últimos meses "um clima de crispação" na corporação, que segundo eles "vem desde que os atuais órgãos sociais da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila do Conde tomaram posse".

Na semana passada, terão entregue um pedido de passagem ao quadro de reserva, que foi recusado, levando a que agora solicitassem esta figura da "inatividade do quadro", na qual continuam como bombeiros, mas não prestam serviços.

Pub
 


Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
2
3
4
6
7
8
9
11
12
13
15
16
19
20
21
22

Últimos Tweets

Sérgio Conceição renova até 2020 e diz que a prioridade era manter-se no Dragão https://t.co/MMyyXkwRsV
Contratos de trabalho temporário vão ter limite máximo de seis renovações https://t.co/7uh8Jyxvrh
Virgem Celestial, abençoai-nos https://t.co/WBkcHzWvRk
Follow Luso.be - Bélgica on Twitter