Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

Juntas, Educação, protecção Civil e investimento são as prioridades do executivo caminhense

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

A Câmara Municipal de Caminha fez saber em nota que «até ao final do primeiro trimestre deste ano, as Juntas de Freguesia do concelho vão receber a totalidade do valor das receitas correntes a atribuir pela Câmara».
«Apesar dos cortes realizados, há um compromisso muito forte para poder manter e apoiar a actividade de cada um destes organismos tão importantes para o nosso concelho. As transferências correntes e de capital mantêm-se tendencialmente»,  explicou o presidente da autarquia caminhense, Miguel Alves. Este autarca local ainda referiu que estes órgãos do Poder Local, em conjunto com os sectores da Educação e da protecção Civil, são encarados como prioridade nas previsões de investimento para o corrente ano.

Previsto está que as juntas de freguesias recebam um valor próximo dos 200 mil euros.
Mas, o executivo também prevê uma «forte contenção nas despesas correntes, transversal a quase todas as rubricas?, com excepção das três áreas referidas. «As Juntas de Freguesia, apesar da grande contenção nas obras não co-financiadas e na total contenção de obras novas não co-financiadas, acabam por ver intactos e sem cortes os valores das transferências correntes e de capital que já eram atribuídos nos anos anteriores».

«Um esforço grande do Município que se faz por ser justo e virtuoso»,  sublinha o presidente da Câmara.
Estes temas e, ainda, as GOP e o Orçamento foram aprovados com os votos da maioria no Executivo. A oposição votou contra os documentos.

«Orçamento marcado por erros, omissões e descidas acentuadas de transferências para as freguesias, educação e apoio às famílias»
É desta forma que o Partido Social Democrata de Caminha faz saber a sua posição e a razão por terem votado contra o GOP e Orçamento 2018.

Esta força política também sublinhou que o orçamento está «enquadrado em promessas, com imensas omissões perigosas sobre a realidade financeira do município, com muitos erros e divergências nos mapas de apoio. E fala, ainda, em descida «acentuada» nas transferências para as freguesias, na educação e no apoio às famílias.

Pub

Isabel Varela
Jornalista / colaboradora
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.
Textos deste autor:

RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimos Tweets

Fogo amigo https://t.co/KnFr3eju8C
Covid-19: Quarentena de equipas inglesas é decisão dos governos - UEFA https://t.co/E7x4v4S9xI
Covid-19: Luxemburgo pede a imigrantes lusófonos que "permaneçam vigilantes" https://t.co/H7rR0jdlKD
Follow Jornal das Comunidades on Twitter