Colocámos cookies no seu computador para melhorar a sua experiência no website. Ao utilizar o site, está a concordar com o seu uso. Ler mais

Lusoproductions  has placed cookies on your computer to help improve this site. By using this site, you are consenting to its usage. Ler mais

Em Portugal não se noticia essas mortes, pois alegam os políticos, que a sua publicação influencia atitudes e comportamentos, levando as pessoas cometer suicídio em série. Não creio que seja assim e penso que o motivo será outro...

O que eles pretendem realmente com esta censura é fazer crer que o problema não existe, preservar a imagem e evitar o peso na consciência.

Um suicídio ao ser noticiado, não faz dos leitores suicidas. Há outras causas, e o que leva as pessoas ao suicídio é a falta de esperança, o desemprego, a doença, a fome, o desespero e o fim da estrada. É o isolamento, o beco sem saída e a parede intransponível. É a escuridão, é o fim...

São estes e outros os motivos principais de quem comete este acto desesperado. É lamentável que esta informação seja escamoteada aos portugueses e fazerem como a avestruz a meter a cabeça no buraco e fazer de conta que os problemas não existem. São actos de cobardia criminosos, no qual a nossa comunicação social muito domesticada voluntariamente obedece e colabora.

Querem iludir e a todo custo manter os portugueses longe da verdade nesta paz podre em que vivemos. Querem que acreditemos na tal [falsa] “recuperação económica”, na [falsa] baixa do desemprego e que agora está tudo [falsamente] melhor.
Se assim é ninguém o sente, pois as condições materiais de vida dos portugueses diminuem dia após dia. Só eles, políticos e banqueiros notam essas melhorias e a realidade é outra.

Os portugueses sem trabalho ou sem qualquer subsídio ou rendimento são cada vez mais. São muitíssimas as famílias sem dinheiro para alimentar os filhos, há idosos que passam fome sem medicação, são jovens e famílias inteiras a emigrar tal como na década de 60, que fugiam à Ditadura, à guerra do Ultramar e à fome. Hoje temos uma “democracia” travestida, desemprego, emigração em massa, fome, doença, desespero e suicídios por todo o lado.

Não possuo dados fiáveis sobre esta tragédia invisível e os que tenho são de há quase um ano, que apontava para CINCO suicídios por DIA, cerca de DOIS MIL por ano!

Volto a afirmar que ter conhecimento destes casos, não faz dos leitores suicidas, mas sim, são as causas que apontei que levam ao suicídio. Se querem realmente que os suicídios diminuam, melhorem as condições básicas da vida dos portugueses.

Conecte-se

Se deseja inscrever-se na nossa newsletter, Digite seu endereço de e-mail.