José Inácio Faria, um nome e um rosto, cada vez mais conhecido e apreciado, na maior casa da democracia europeia; pela convicção e pela competência. Natural de Viana do Castelo foi eleito pelo Movimento Partido da Terra ao Parlamento Europeu e integra o grupo parlamentar PPE (Partido Popular Europeu), onde tem desenvolvido consistente trabalho nas comissões temáticas: Ambiente, Igualdade de Género, Segurança Alimentar, Saúde Pública. Integra ainda o grupo de eurodeputados na missão de aproximar a Europa à América Latina, onde tem desenvolvido um extraordinário trabalho, também pela sua vocação e destreza em comunicar; movimenta-se com muita facilidade, conhece por dentro as diferentes matérias que trata. Toma posições delicadas, que após debate acabam por ser, na sua maioria, votadas.

São vários os exemplos, nomeadamente na defesa dos Direitos Humanos e outras iniciativas inerentes. Voz daqueles que já não podem falar tem-se dedicado, com paixão, a casos e causas, que nos deixam embasbacados. A sua recente deslocação à Nicarágua, integrando uma delegação de outros eurodeputados, reforça e atesta o seu empenho em prol dos direitos humanos naquele país, entre outros, onde se justifica esse esforço de diálogo e concertação. Com exigência e determinação nos diversos contactos junto das autoridades locais ao mais alto nível; governantes, ambientalistas, activistas políticos, presos políticos e demais sociedade civil. Um trabalho e observações que podem produzir, a curto prazo, reais efeitos de mudança e resolução, nomeadamente para com os jornalistas Miguel Mora e Lucía Pineda, presos em condições desumanas.   

Mais recentemente e em relação à Venezuela, José Inácio Faria foi o único signatário a produzir uma declaração de voto, classificando aquele país como “narcoestado corrupto que obriga milhões a migrar ou a diariamente cruzarem as fronteiras para procurar comida e medicamentos para os seus filhos”. Já na véspera - antecipando a votação do Parlamento Europeu no reconhecimento formal de Juan Guaidó como Presidente interino legítimo da Venezuela - recebia um grupo de opositores ao regime totalitário de Nicolas Maduro; ensejo que aproveitou para reafirmar o seu total apoio na luta pela restituição da democracia e liberdade na Venezuela.

Voz do Minho em Bruxelas consegue ainda o tempo necessário para difundir e apoiar a gastronomia, os pequenos empresários, a imprensa regional, entre outros. Nesse sentido e transpondo para uma prática a que já nos habituou convidou e atendeu, com muita disponibilidade, um pequeno grupo de jornalistas da Imprensa Regional e Rádios locais, oriundos dos concelhos de Barcelos, Ponte da Barca, Ponte de Lima e Vila Verde.

E a quem deu a conhecer o funcionamento da sua actividade nas diferentes Comissões de que faz parte, incluindo as missões inerentes à EUROLAT; missão de aproximar a Europa à América Latina. Houve ainda uma conferência de imprensa e uma entrevista; os participantes tiveram ainda o ensejo de expor as suas experiências e dificuldades inerentes à profissão, que continua a subsistir às adversidades na, cada vez mais difícil, prestação de serviços da imprensa regional. O grupo convidado ficou particularmente grato pela experiência, da qual fica substancial proveito e reconhecimento.

Finalmente o propósito de mais um grande evento, para o início da Primavera, a Semana do Minho em Bruxelas, com uma mostra de produtos enagastronómicos e degustação de variados produtos e vinhos, para além da Arte e da Cultura, tudo bem doseado com música tradicional portuguesa. Todas estas iniciativas, que promovem e valorizam, são a cargo do Eurodeputado do Partido da Terra; José Inácio Faria lançou esta dinâmica de promoção gastronómica e defesa dos bons produtos regionais, que integram com naturalidade a Comissão Saúde Pública e Segurança Alimentar, da qual faz parte activa.

Em nome de todos e com toda a singeleza, quero deixar aqui um agradecimento muito especial ao incansável Eurodeputado, a quem desejo um auspicioso futuro, pessoal e profissional. Um grande bem-haja.

 


Pub