Durante a tradicional Missa do Galo, realizada na noite de 24 de Dezembro na Basílica de São Pedro, em Roma, o Papa Francisco expôs uma reflexão na qual conferiu à história de Natal um sublime paralelismo com os fluxos migratórios dos tempos atuais.

 O Bispo de Roma, e como tal, líder mundial da Igreja Católica, que evocou o nascimento singelo de Jesus como uma “fonte de esperança” para os dias de hoje, comparou a história da viagem de José e Maria, forçados a deixarem a sua terra de Nazaré em direção a Belém “mas cheios de esperança no futuro pelo filho que estava prestes a chegar”, com a história de milhares de pessoas que saem dos seus países de origem em busca de uma vida melhor.

Numa época em que a humanidade assiste a uma gravíssima crise migratória, expressa, por exemplo, na chegada à Europa nos últimos anos de milhões de pessoas que fogem de conflitos, terrorismo ou perseguições nas suas terras natais, as palavras prementes do Papa Francisco demandam um compromisso e resposta solidária mundial aos grandes movimentos hodiernos de migrantes.

Contrariamente a outros importantes protagonistas do palco mundial, que têm assumido atitudes e posições titubeantes relativamente ao fluxo migratório, o Papa Francisco, ele próprio filho de emigrantes italianos na Argentina, tem desde o início do seu pontificado difundido uma mensagem de responsabilidade e preocupação com os migrantes.

A escolha há quatro anos de Lampedusa para a primeira viagem apostólica do seu pontificado e a primeira de sempre de um Sumo Pontífice à ilha italiana do Mediterrâneo, ponto de passagem para milhares de imigrantes que tentam chegar à Europa, é reveladora do profundo respeito que o Papa Francisco tem pelos milhares de pessoas e famílias que procuram fora dos seus países de origem um futuro melhor.

Ainda no decurso do ano que agora finda, o Papa lançou a campanha "Partilhar a Viagem". Uma iniciativa a favor dos migrantes para ajudar a debelar o crescimento do sentimento anti-imigrante na Europa e nos Estados Unidos da América, que o líder religioso fundamentou com a defesa do princípio basilar que os migrantes são "impulsionados pela virtude cristã da esperança para encontrar uma vida melhor".

Pub
 

Daniel Bastos
Pode ler mais sobre este colaborador

Entre em contacto : Daniel Bastos Perfil: Info

Artigos deste Autor: