Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

Covid-19: PAN contra adiamento do lançamento de Estratégia Europeia do Prado ao Prato

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Lisboa, 03 de abril de 2020 – O eurodeputado do PAN (Pessoas-Animais-Natureza) opõe-se à proposta do Partido Popular Europeu (PPE) à Comissão Europeia (CE) em adiar, para depois do verão, a divulgação da Estratégia Farm to Fork / do Prado ao Prato (F2F).

Inicialmente, a Estratégia estava para ser divulgada no fim de março. No entanto, devido ao vírus Covid-19, a Comissão adiou a sua divulgação para 29 de abril. Apoiado pela agroindústria (COPA-COGECA), o PPE vem agora apelar para que haja um segundo adiamento até “pelo menos depois do verão”, refere o grupo em comunicado.

O PAN, e em linha com a sua família política Europeia dos Verdes/ALE, considera que outro adiamento da Estratégia comprometerá as metas estabelecidas pela União Europeia (EU) no Acordo de Paris e no Pacto Ecológico Europeu e, também, as ambições sustentáveis a serem definidas na Política Agrícola Comum (PAC) de 2021-2027, que se encontra em fase de negociações, também elas já atrasadas.

“A pressão do PPE, apoiada pelos grandes produtores, advém da sua incapacidade de conectar as origens do Covid-19 com o modo de produção e consumo insustentáveis que temos vindo a perpetuar enquanto sociedade. A Estratégia tem precisamente como objetivo proteger e melhorar o nosso sistema agrícola, florestal, e piscícola e mitigar os hábitos insustentáveis que originam crises ambientais e virosas como as que experienciamos. Para além disto, o PPE falha em perceber que a data de divulgação da estratégia não significa que as ‘regras adicionais’ entrem vigor no mesmo dia, por isso, nada seria ‘imposto aos agricultores’ de imediato”, afirmou Francisco Guerreiro.

As ameaças à segurança alimentar trazidas pelo vírus devem fazer-nos repensar o nosso sistema de produção: necessitamos de um sistema resiliente, produção e venda locais e cadeias de distribuição curtas, e que realmente protejam os agricultores. A Estratégia F2F é necessária para auxiliar a próxima PAC na definição dos incentivos à agricultura e para habilitar os agricultores no seu trabalho rumo a um sistema alimentar sustentável. Isto, claro, só é possível se esta transição deixar de ser retratada como uma ameaça por aqueles que aparentam não entender a urgência da situação.

“Adiar a F2F para o verão significa adiar o início do planeamento para o futuro do desenvolvimento de uma rede de distribuição alimentar resiliente e sustentável. Com a sua proposta de adiamento, o PPE (PSD e CDS) desprotege os agricultores e os consumidores, colocando-os ainda mais em risco em futuras crises económicas e epidémicas”, concluiu o eurodeputado.

A Estratégia F2F é uma das grandes bandeiras do Pacto Ecológico Europeu da CE e tem como objetivo transformar o modo como produzimos e consumimos alimentos na UE, prometendo incidir sobre assuntos como o desperdício alimentar e a rotulagem de produtos consoante a origem, valor nutricional e grau de sustentabilidade.


RECOMENDADOS PARA SI