Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

A NOVA LIDERANÇA DO PSD Capacidade, dinamismo, ambição...

ID:N°/ Texto: 4424
Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

O Partido Social Democrata vai a eleições para estabelecer um novo rumo, com uma nova liderança. Tão urgente, quanto necessária... Os três candidatos fizeram uma campanha serena, cada um ao seu estilo, com as suas convicções e natural ambição de conseguir um bom resultado.

O grande destaque vai para os movimentos e a mensagem de esperança que Luís Montenegro, quer para o PSD - "Forte e Capaz". É o momento chave de clarificação, ao qual se segue - no fim de semana de 7 a 9/02 - o 38° Congresso Nacional, em Viana do Castelo.
De facto o Partido que nos habituou a grandes vitórias e a muitas emoções, não tem correspondido aos desafios para os quais está vocacionado a ganhar. Perdeu também o norte, quando deixou de se afirmar como alternativa ao Partido Socialista; nas eleições para o Parlamento europeu e depois para as legislativas, com um resultado muito aquém das expectativas e por isso muito confrangedor, do ponto de vista politico!

Dos três candidatos, apenas Luís Montenegro se encontrou com a Diáspora portuguesa. Em Bruxelas reforçou as criticas ao Governo e a Rui Rio. E apelou ao voto na sua candidatura alegando, “preparar terreno para conquistar a confiança da sociedade portuguesa e vencer as próximas legislativas com maioria absoluta”. Mostrou ainda, o que distingue o seu projecto e ambição, dos seus adversários. “O meu posicionamento não é associar o PSD ao PS, é afirmar o PSD como a alternativa ao bloco formado pelo PS, Bloco e comunistas”, concluiu. Da capital da Europa endereçou ainda um sustentado apelo aos militantes residentes no estrangeiro, a quem deixou um abraço fraterno!

Apesar da pouca participação cívica, nos últimos actos eleitorais, tudo indica que os militantes Sociais democratas no estrangeiro se estão a mobilizar, com força e razão, para participar nestas directas... Dos dois deputados sociais democratas eleitos pela emigração, apenas José Cesário se manifestou apoiante de Luís Montenegro tecendo elogiosas razões, para essa tomada de posição. Carlos Gonçalves, eleito pelo círculo eleitoral da Europa, não divulgou em quem tenciona votar, também por ser presidente da Mesa de Secção.

Portugal e os portugueses precisam de um PSD unido e firme no propósito de vencer os desafios do futuro, a começar pelas eleições autárquicas de 2021... Montenegro defende um PSD "Forte e Capaz", para ganhar as próximas eleições legislativas e reformar o país sem qualquer dependência de terceiros; e todos os companheiros se regozijariam com tão importante proeza, em beneficio e proveito, de um país que queremos mais justo, mais próspero e mais solidário!


RECOMENDADOS PARA SI