Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

FIM DE MEDICAMENTOS FALSOS MOTIVA REUNIÃO DO EURODEPUTADO INÁCIO FARIA

ID:N°/ Texto: 3386
Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

A entrada em vigor no passado dia 9 do corrente mês de Fevereiro da Directiva 2011/62/EU para combate aos medicamentos falsificados, motivou uma reunião anteontem em Bruxelas pelo Eurodeputado José Inácio Faria, do Movimento Partido da Terra / PPE e membro da comissão de Ambiente, Saúde Pública e Segurança Alimentar.

Sete anos depois do prazo concedido pela Comissão e Parlamento para a implementação de regras pormenorizadas para dispositivos de segurança que figurem nas embalagens de medicamentos, o parlamentar quis avaliar a situação e procedimentos na aplicação daquela Directiva.

Tratou-se dum encontro organizado em parceria com a Aliança Europeia de Acesso ao Medicamento Seguro, para constatar da aplicação das regras da nova legislação, como serializar as caixas dos fármacos, selar o produto e identificá – lo com a colocação do EMVS (Sistema de Verificação de Medicamentos Europeu), de acordo com a legislação; esse Identificador Único (IU) permite com maior eficácia combater a “ contrafacção de medicamentos “; é que, há uma série de informações precisas e únicas lidas através de dispositivos móveis informáticos, como o número de série atribuído ao medicamento, lote, validade e número de registo, permitindo assim concluir se aquele produto está em conformidade com o Sistema de Verificação de Medicamentos Nacional / Europeu.

O tema central em discussão naquela assembleia em Bruxelas, foram as farmácias hospitalares. É que, de acordo com estudos realizados é nessas unidades de saúde que há mais necessidade de autenticação de muitos medicamentos, pela existência de fornecedores diferentes e validação de todos os fármacos.

Assim, a análise ao cumprimento da Directiva Europeia aprovada para combater os medicamentos falsos, fez chamar a balanço no gabinete do Eurodeputado natural de Viana do Castelo, o trabalho interno nos últimos tempos de todas as entidades intervenientes, através de representantes de agências reguladoras, indústrias farmacêuticas, hospitais da Alemanha, Espanha, França, Reino Unido, farmácias e profissionais da saúde, para além de alunos da UCL (Escola de Farmácia de Londres).

Tito Morais
Author: Tito Morais
Colaborador convidado
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.
Textos deste autor:

RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimos Tweets

Incêndios: Área ardida diminuiu mais de metade até 30 de junho https://t.co/UHYISd1Mxv
Covid-19: Polícia mata homem em Luanda ao repreender jovens que não usavam máscara https://t.co/pIAWPdlcWH
Vilas People abre com Tiago Bettencourt https://t.co/qQs7Zztq2V
Follow Jornal das Comunidades on Twitter