Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

PSD quer ponte entre Caminha e La Guardia - actual executivo nada diz

ID:N°/ Texto: 3346
Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

A cimeira Luso Ibérica está agendada para o próximo mês de Julho, na cidade da Guarda, e a deputada pelo PSD no círculo de Viana do Castelo Liliana Silva lançou o desafio a António Costa, primeiro-ministro português, com a criação de uma ponte rodoviária que ligue as margens de Caminha a La Guardia.

Liliana Silva está preocupada com o tecido económico de Caminha que, considera, “tem vindo a definhar-se de ano para ano”. Assim, uma travessia rodoviária poderá trazer mais investimento a Caminha, refere a deputada que acrescenta, ainda, que esta solução foi sempre qualificada como irreal pelo presidente da Câmara Miguel Alves], em diversos momentos.

Recorde-se que em 2008, um estudo de viabilidade realizado por técnicos dos dois países, liderado por especialistas da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto , apontou a solução técnica para a construção da nova ponte sobre o rio Minho, mas até hoje o projecto não avançou.
As ligações entre os dois municípios são asseguradas pelo ferry" Santa Rita de Cássia, muitas vezes impedido de cruzar o rio por causa do assoreamento que afecta o curso internacional de água.

Na nota enviada, Liliana Silva defende que a construção daquela travessia permitiria potenciar a economia do concelho, atraindo "grandes empresas" e potenciando a "proximidade" da ligação à autoestrada A28.

"Apenas nos falta a ligação transfronteiriça que permita esse escoamento e trocas comerciais com a Galiza", sustentou.

A deputada do PSD invocou ainda o turismo, sector de "referência" do concelho que está integrado na rota dos Caminhos de Santiago de Compostela.

"os peregrinos ficam sempre sujeitos ao horário do 'ferryboat' para prosseguirem viagem, com a condicionante grave de, à segunda-feira, a embarcação se encontrar parada para descanso da tripulação", referiu.

Segundo a deputada social-democrata, "sem qualquer travessia viária para a outra margem, Caminha tem visto grandes investidores, com capacidade efectiva de criação de emprego, a optar por concelhos vizinhos como Valença, Monção ou Cerveira”.

"É tempo de deixarmos de ver esta ligação fronteiriça como uma miragem. Está na altura de darmos o impulso que o concelho de Caminha merece e que irá favorecer todo o Alto Minho, tornando-o numa das regiões mais competitivas do País", sustentou.

Também quisemos conhecer a opinião do actual presiente da Câmara Municipal de Caminha, Miguel Alves, sobre este assunto, mas ficamos sem resposta …

 


RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Últimos Tweets

Covid-19: Conselho Científico diz que "epidemia está controlada" em França https://t.co/HbpUhjvV7g
Executivo caminhense aprova contas positivas do ano de 2019 https://t.co/1sW2qOpJNE
PONTE DE LIMA TEM O 14º MELHOR VIOLINISTA MUNDIAL! https://t.co/6QS6c14puD
Follow Jornal das Comunidades on Twitter