Ossufo Momade eleito presidente da Renamo, principal partido da oposição em Moçambique

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

(Lusa) - Ossufo Momade, líder interino da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), venceu as eleições para a presidência do partido.

Ossufo Momade foi escolhido com 410 votos, enquanto Elias Dhlakama recebeu 238, Manuel Bissopo teve sete e Juliano Picardo recolheu cinco votos.

Um quinto candidato, Hermínio Morais acabaria por se retirar da corrida e apoiar Momade.

Os números foram anunciados hoje pela organização do 6.º Congresso da Renamo, que decorre desde terça-feira na Serra da Gorogonsa, centro de Moçambique.

Ossufo Momade, que já tinha sido designado coordenador interino da Renamo desde a morte do histórico líder, Afonso Dhlakama, em maio de 2018, é assim confirmado na liderança do partido, com a maioria absoluta dos votos, entre os quase 700 militantes persentes.

O programa do congresso prevê para hoje a tomada de posse do novo presidente, a eleição do conselho nacional do partido e respetiva mesa, assim como dos membros da comissão política nacional, conselho jurisdicional e, eventualmente, de um novo secretário-geral.

O discurso de encerramento do encontro estará a cargo de Ossufo Momade, que ainda hoje deverá dirigir a primeira sessão do Conselho Nacional do partido após a sua eleição como presidente.

O dirigente eleito já tinha dado a conhecer as suas intenções na intervenção de abertura do congresso, na terça-feira.

Na altura, ainda como coordenador interino da Renamo, defendeu que o partido deve continuar a ser uma alternativa de governação em Moçambique.

"A nossa missão e o nosso desafio é continuarmos a ser uma alternativa de governação", referiu, realçando a necessidade de fortalecer a coesão interna, para a Renamo "ser forte" no seu projeto de governação inclusiva.

Momade defendeu os ideais do ex-líder como forma de consolidar a democracia em Moçambique e comparou Afonso Dhlakama a figuras históricas como Nelson Mandela e Martin Luther King.

"O nosso saudoso presidente ensinou-nos a saber transformar as dificuldades em fonte de inspiração e crescimento", acrescentou, numa alusão às queixas da Renamo de fraude nas eleições autárquicas de outubro de 2018.

Ossufo Momade assinalou que o pacote de descentralização, fruto da trégua militar entre as forças governamentais e o braço armado da Renamo, em vigor desde dezembro de 2016, deve servir para fortalecer a democracia.

Pub

Pub


RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
5
6
12
13
19
20
26
27
31

Últimos Tweets

Novo livro sobre Gérald Bloncourt e o nascimento da democracia portuguesa em Fafe https://t.co/omMOquth0N
Miguel Alves constituído arguido na operação éter https://t.co/QxTxa7XE7r
ARROZ DE SARRABULHO REUNIU 700 APRECIADORES EM FRANÇA! https://t.co/LzDWgSVYvX
Follow Jornal das Comunidades on Twitter