“Em 2003, o Parlamento Europeu comprometeu-se a adoptar um programa de acção para a integração da perspectiva de género, inclusive no funcionamento das suas comissões e delegações. 16 anos depois estamos aqui a discutir o mesmo assunto. Continuamos, de facto, sub-representadas”.

Assim começou Liliana Rodrigues a sua intervenção, no âmbito da discussão do relatório sobre a “Integração da perspectiva de género no Parlamento Europeu”, que aconteceu ontem, em Estrasburgo.

Na sua intervenção, a eurodeputada socialista referiu que o Parlamento Europeu é “um caso flagrante da falta de perspectiva de género”, convidando depois para que os partidos, nos diferentes Estados-membros, sigam o exemplo do Partido Socialista português que, “pela segunda vez consecutiva, irá apresentar uma lista totalmente paritária para as eleições europeias”.

A votação final do relatório sobre a “Integração da perspectiva de género no Parlamento Europeu” realizou-se hoje. A proposta foi aprovada em plenário com 492 votos a favor, 126 contra e 81 abstenções.

Pub

Pub


Pub