O eurodeputado José Inácio Faria, do Partido da Terra / PPE regressou da Missão do Parlamento Europeu às Eleições presidenciais em Madagáscar, como Observador nomeado por Bruxelas, a convite do governo daquela antiga colónia francesa.

Durante a sua estada naquele país do Índico, o também jurista acompanhou todo o processo eleitoral naquela que é considerada a maior ilha de África e a quarta do planeta, com quase 600 mil km2 de extensão e 22 milhões de habitantes. A grande concentração de secções de voto e eleitores inscritos, registou-se na capital de Madagáscar – Antananarino – também o principal centro de negócios do território, com cerca de 1,4 milhões de habitantes.

A Missão de Observação do Parlamento Europeu á escolha do Presidente da República daquela nação situada frente a Moçambique, foi o garante da isenção e estabilidade para esse acto da democracia local, cujo Boletim de voto compreendia nada menos do que três dúzias de candidatos.

Entretanto, já de regresso a Portugal, o eurodeputado vianês concluiu a sua agenda semanal fóra do Parlamento, com incursões na metrópole lisboeta.

Na capital, participou na homenagem ao saudoso jornalista Afonso Cautela, um dos fundadores do Partido da Terra e autor de numerosas notícias, afincadamente n” A Capital” sobre desastres ecológicos.

Em Sintra, o eurodeputado José Inácio Faria foi um dos oradores na conferência europeia - Optimal Nutritional CARE for All (ONCA) organizada pelo European Nutrition For Health Alliance, com apoio do Ministério da Saúde. O também membro da comissão parlamentar de Saúde Pública em Bruxelas, elencou na ocasião, algumas da sua actividade no âmbito desse seu pelouro, assim como o tema da desnutrição.

Entretanto, José Inácio Faria encontra-se já hoje em Estrasburgo, na sessão plenário do Parlamento Europeu, regressando na sexta – feira a Portugal, para um compromisso em Lisboa, seguindo na manhã de Sábado para Ponte de Lima. Aqui, no âmbito da sua actividade de defesa e divulgação de produtos enogastronómicos, o eurodeputado do Alto Minho, organiza o evento – A Protecção das DOP (Denominações de Origem Protegida) na União Europeia e a Segurança Alimentar – com anuência de produtores, autarcas, diplomatas e dirigentes associativos do sector.

Pub


Pub