Previous Next

Garra e dedicação é o lema do Sporting Clube Caminhense

Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Uma história vastíssima recheada de êxitos e muitas conquistas não estava nos planos de um grupo de caminhenses que à 90 anos criaram o Sporting Clube Caminhense. Mas, tudo aconteceu com a dedicação e garra dos atletas, treinadores e elementos dirigentes.

As Condições sócio-económicas e políticas da época, a evolução verificada posteriormente, a nível nacional e internacional, em nada auspiciavam o êxito para um clube de pequena dimensão que começava a dar os primeiros passos e se localizava na confluência do rio Coura com o rio Minho.

O S.C.C nasceu a 14 de Dezembro de 1926, no edifício da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caminha. Esta acção partiu da boa vontade de alguns homens caminhenses.

Em 1929 o clube caminhense torna-se filial do Sporting Clube de Portugal, não sendo fácil a sua decisão, pois sendo grande parte dos sócios benfiquistas, o seu presidente era um acérrimo sportinguista. Após uma acesa discussão com o Presidente do Clube Manuel Fernandes (Mussolini), ficou finalmente acordada a filiação ao clube de Lisboa, com a condição da equipa minhota poder jogar com ambas as cores, vermelho (Benfica) e verde (Sporting). A partir deste ano o Sporting Club Caminhense passa a ser filial nº 49 do Sporting Club de Portugal.

Nos primeiros anos de vida o Caminhense tinha apenas 20 remadores. Não era um desporto muito aliciante pelo perigo que representava remar em barcos muito compridos, estreitos e pouco estáveis.

O seu primeiro out-riggers de tábua lisa, foi construído pelo clube em 1936. Foi com esta embarcação que venceu o campeonato regional de juniores derrotando o Fluvial Portuense.

Na história e na memória do remo em Portugal está o Sporting Clube Caminhense pelas suas conquistas e a formação de atletas do mais alto nível.
Actualmente, Pedro Fernandes é o presidente do clube tendo sido atleta e foi com ele que conversamos sobre o clube verde e branco de Caminha.

como se vive este 90º aniversário do clube?

Pedro Fernandes – Não é fácil explicar mas sinto uma enorme gratidão e orgulho de fazer parte desta história e desta grande camélia que é o SC CAminhense. Neste momento sou atleta veterano mas formei-me na escola do Caminhense e percorri todo o percurso até sénior, nem sempre remei neste clube mas foi muito enriquecedor ter outras experiências e vivências fora do Caminhense, dou-me uma perspectiva diferente do remo e da grandeza do SCC. Um dia vesti a camisola do CAMINHENSE, devia ter 9 ou 10 anos e até hoje nunca mais a tirei, podemos remar noutro sitio mas o coração permanece em caminha, no caminhense.

Tambei fui treinador nos diversos escalões do clube, desde a formação até aos veteranos e vivi experiência fantásticas ao lodo e com os meus atletas, algo que também nunca esquecerei...cada titulo conquistado tem um sabor diferente, mas há sabores e sensações inexplicáveis, deve-se assemelhar a uma droga...ficamos completamente dependentes e acredito que só termine quando a nosso vida também chegue à meta.

E por fim, ser director e presidente do clube era algo que eu já sabia qual seria o preço, pois o meu pai já o tinha sido no passado e deixou-me um legado muito pesado, e muito difícil de igualar. Cada época é uma época, e nós costumamos dizer que as coisas cada vez estão mais difíceis, mas se assim não fosse não havia motivações nem desafios. Este nonagésimo aniversário está a terminar da melhor forma, e poder ver na nossa vila um reconhecimento publico a todos os remadores que passaram pelo caminhense é indescritível e de um enorme orgulho, todos os caminhenses teremos muito orgulho e prazer em mostrar ao mundo o que nós fomos, somos e seremos... provavelmente o melhor clube de remo do mundo.

- Que novos objectivos existem para o SCC?

PF – Continuar a trabalhar todos os dias para dar as melhores condições aos nossos atletas e sócios, ultrapassar os 1000 sócios para o clube, aumentar o numero de praticantes no clube em todos os escalões.
e sim, tenho um sonho que quero tornar realidade, um posto náutico novo adaptado ao remo do presente e capaz de fazer frente ao futuro por muitos anos.

- Que mensagem deixavas aos atletas e sócios?

PF – Aos atletas, só tenho que lhes agradecer por fazerem parte deste grande clube e que continuem a honrá-lo tal e qual como o tem feito até hoje
aos sócios dizer-lhes que ainda tenho muito sangue para dar ao Caminhense e que continuarei com ajuda da minha equipa e do apoio de todos os simpatizantes do clube aumentar a nossa história a trazer para Caminha muitas mais conquistas e projectar o Caminhense para o mundo.
e um exemplo disso será a nossa participação em londres já em Março de 2017 na maior e mais famosa regata do mundo.
viva o Caminhense.

Pub

Isabel Varela
Author: Isabel Varela
Jornalista / colaboradora
Pode ler mais sobre este colaborador
Artigos deste Autor:

The Sol Ar Vinhos de Portugal

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
14
15
16
17
18
19
20
21

Pub Google

Últimos Tweets

Todos somos Comunidade Portuguesa. https://t.co/sv8zIjo8SI
Seca: Racionamento de água é medida "no fim da linha", ministro do Ambiente https://t.co/c4TK8G3cax
Pantominice https://t.co/v1nwAJCFZg
Follow Luso.be - Bélgica on Twitter