Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

Chave para cura de madeirense com cancro raro pode estar na comunidade no Reino Unido

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

(Lusa) - A comunidade portuguesa no Reino Unido poderá ter a chave para a cura de António Ferreira, que reside em Jersey e sofre de um tipo raro de cancro e que procura um dador compatível para um transplante de células estaminais. 

O madeirense de 40 anos foi diagnosticado em 2017 com o síndrome de Sézary, um linfoma não-Hodgkin cutâneo de células T que provoca dor, comichão, sensação de ardor e vermelhidão da pele e a principal probabilidade de sobreviver é recebendo um transplante de ADN.

Apesar de ter quatro irmãos, a compatibilidade foi considerada reduzida pelos médicos, que consideraram o transplante um risco, pelo que continua uma busca mundial por um dador com o mesmo perfil genético e a solução poderá estar na comunidade portuguesa. 

Segundo Nigel Gordon, relações públicas da associação DKMS, “é mais provável que o doador compatível seja alguém de origens semelhantes”.

A organização tinha planeado uma série de ações de sensibilização este ano junto da comunidade portuguesa em Londres, mas os planos foram afetados pela pandemia covid-19. 

"Infelizmente, o coronavírus impediu-nos de realizar esses eventos”, disse à agência Lusa o responsável pela associação alemã cujo nome é uma sigla para "Deutsche KnochenMarkSpenderdatei”, o que significa Programa Alemão de Doadores de Medula Óssea. 

O que mesmo assim esperam conseguir, através de um apelo lançado recentemente [https://www.dkms.org.uk/en/tony], é angariar mais doadores, o que é feito de uma forma simples. 

Após o registo pela Internet, os voluntários, que têm de ter entre 17 e 55 anos, recebem em casa um 'kit' para retirar uma amostra de saliva, o que é feito em poucos minutos e de forma semelhante ao teste da covid-19. 

Esta amostra será analisada para identificar o perfil genético, o qual será adicionado a uma base de dados de alcance mundial, e as probabilidades de um doador ser chamado são reduzidas, mas para o madeirense é importante que o maior número possível de portugueses se registem. 

Segundo a DKMS, negros, asiáticos ou pessoas de outras origens étnicas têm três vezes menos probabilidades de encontrar um doador compatível do que cidadãos caucasianos do norte da Europa.

António Ferreira mudou-se da Madeira para Jersey em 2008 onde trabalhou como jardineiro até identificar uma mancha vermelha nas costas. 

A biópsia inicial não encontrou o cancro e foi tratada como se fosse um eczema ou dermatite. 

Só cinco anos mais tarde, à medida que o estado de saúde se foi deteriorando e outros sinais apareceram, como caroços no corpo e a deformação das unhas, é que foi diagnosticado com o tipo raro de linfoma. 

"Nos primeiros tempos ainda tentou continuar a trabalhar para ajudar a família, mas faltava-lhe força”, contou Osvalda Ferreira, a mulher de António, que o acompanha nas viagens a Londres todos os 15 dias para fazer tratamentos ao sangue que atenuam os sintomas. 

Estes tratamentos foram suspensos durante o confinamento decretado devido à pandemia de covid-19, bem como a hipótese de um tratamento inovador e experimental, e a família teve de se isolar para evitar o contágio pelo novo coronavírus. 

Apesar de as visitas aos hospitais terem sido retomadas, António Ferreira anseia por voltar à jardinagem e por fazer uma vida normal com a mulher e a filha de 14 anos. 

"Tentei várias vezes reagir à doença, mas a falta de força deixou-me pelo caminho. Consigo fazer alguma coisa, mas fico exausto”, lamenta. 

Para Osvalda, o marido enfrenta uma corrida contra o tempo para fazer o transplante enquanto os órgãos vitais estão em funcionamento e a doença não afeta pulmões ou o fígado.

“Estamos dependentes da ajuda de alguém que não sabemos quem é”, admitiu. 

Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.


RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimos Tweets

Lisboa a Lagos e Ceuta 600 anos depois https://t.co/haCCQyQx8h
Covid-19: Autarcas da AMLisboa podem alterar horário de funcionamento do comércio - Governo https://t.co/rAyTdbQfMR
Covid-19: Portugal com mais seis mortes e 325 novos casos nas últimas 24 horas https://t.co/6raV0XLVbL
Follow Jornal das Comunidades on Twitter