Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

Covid-19: Itália supera as 17 mil mortes com 604 óbitos nas últimas 24 horas

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

(Lusa) – Itália superou hoje as 17 mil mortes por causa do novo coronavírus, com o registo de 604 óbitos nas últimas 24 horas, indicaram as autoridades italianas, destacando que o número de contágios e de pessoas hospitalizadas está em decréscimo.

Com a atualização dos dados, Itália, um dos países mais afetados pela pandemia da covid-19, totaliza hoje 17.127 vítimas mortais desde o início da crise.

A Proteção Civil italiana destacou que o número diário de mortes foi menor do que no dia anterior (na segunda-feira tinham sido contabilizados 636 óbitos num dia).

Em termos globais, desde o diagnóstico do primeiro caso de covid-19 de contaminação interna no país, em fevereiro, Itália contabiliza 135.586 casos, mais 3.039 em comparação com segunda-feira, número que indica que a tendência de um ligeiro abrandamento na propagação do vírus mantém-se.

Neste momento, os casos positivos ativos de infeção em Itália são 94.067, anunciou a mesma fonte.

O número de novos casos positivos aumentou apenas 880 num dia, o número mais baixo desde 10 de março, destacaram as autoridades locais.

Um total de 24.392 pessoas estão dadas como curadas, das quais 1.555 receberam alta nas últimas 24 horas, precisou o chefe da Proteção Civil italiana, Angelo Borrelli.

A maioria dos casos positivos, 61.557, está em isolamento nas respetivas casas, enquanto outros 28.718 estão hospitalizados com sintomas.

Um grupo de 3.792 doentes está em unidades de cuidados intensivos, menos 106 do que na segunda-feira, mantendo-se o decréscimo do número de pacientes graves pelo quarto dia consecutivo.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,3 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 75 mil.

Dos casos de infeção, mais de 290 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com cerca de 708 mil infetados e mais de 55 mil mortos, é a zona do mundo mais afetada pela pandemia.

Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.


RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Últimos Tweets

3 milhões de euros para formar futuros investigadores em Meteorologia Espacial e Física Solar https://t.co/1c60a5gU0g
Luso-americanos de Nova Iorque preparam Dia de Portugal ‘online’ https://t.co/Mf7UsnWJZK
Açores celebram Dia da Região com população mais jovem do que a média do país https://t.co/3rk8ThA9t2
Follow Jornal das Comunidades on Twitter