COMO CRIAR UM CURRÍCULO CAMPEÃO?

ID:N°/ Texto: 3550

Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Este texto tem como temática a construção de um currículo, algumas dicas sobre como o fazer e o que evitar na sua realização.

Existem algumas regras básicas para escrever o seu currículo. No entanto, deve adaptar-se o CV ao seu objectivo - o trabalho ao qual se vai candidatar, àquilo que o valoriza mais a si e que o ajudará mais facilmente a conseguir o que deseja. Também deve ter em conta as regras standard do país onde se encontra, que podem variar.

O que escrever? O formato básico do seu currículo deve conter: os seus dados pessoais, de contacto e uma foto sua, preferencialmente uma foto profissional do seu trabalho, seja ele qual for. Seguidamente os tópicos: Educação, Certificados Relevantes (para a vaga a que se candidata), Experiência, Conhecimentos Linguísticos, Referências (normalmente fornecidas a pedido posterior) e por último pode-se escrever um texto “comercial” que apresente resumidamente o número de anos de experiência que tem, em que áreas, que conhecimentos e o apresente a si profissionalmente com as suas melhores qualidades. A ordem não tem necessariamente de ser esta e deve acrescentar outro tópico caso necessite, mas lembre-se disto: é importante que o início e o final do seu CV sejam apelativos. Que todo ele seja um espelho do seu brio profissional!

A cronologia das datas deve surgir do mais recente para o mais antigo. No entanto, pode ser-lhe mais favorável se aparecer no início do CV a experiência que mais se assemelha ao trabalho para o qual está a concorrer. Uma pequena batota…

O tópico da experiência de trabalho requere o máximo da atenção por ser a parte mais importante. Coloque as datas, ou pelo menos o ano e o mês de início e fim, a empresa e localização, a função e tarefas ou responsabilidades. Não deixe anos de trabalho por explicar, é preferível fazer um resumo das suas experiências mais recentes e relevantes. Não coloque experiências que tenha muito curtas, de poucas semanas ou meses – isso pode ser visto como instabilidade. Por último, é importante que descreva bem as suas tarefas da forma mais simples possível.

A comunicação deve ser cuidada e a escrita sem erros mas, acima de tudo: simples. Deve evitar estrangeirismos ou palavras que a maioria não conheça. O objectivo é que quem o receba o entenda bem, mesmo não tendo conhecimentos da sua área tão bons como os seus. Se está no estrangeiro e precisa de escrever o seu currículo numa língua que não domina bem, não se fie no tradutor online: o melhor que tem a fazer é pedir a um profissional que o faça por si.

Relativamente ao tamanho, o seu CV deve conter não mais que duas páginas para que conste toda a informação numa só folha. Deve ser um resumo e não será mais valorizado por ter dezenas de páginas. Evite colocar informações que não lhe pareçam relevantes para a vaga a que se candidata. Retire também toda a informação que não o valoriza. Não precisa dar detalhes a mais, ou sobre os quais pode falar posteriormente em fase de entrevista caso lhe seja perguntado.

As Cores? Sendo esta uma questão supostamente livre, as cores azul ou cinza parecem-me profissionais. Por exemplo outras como o amarelo, o vermelho, o rosa, o laranja já são bem evitadas. Outra arriscada afirmação seria sobre o modelo Europass – pode encontrar na net modelos + apelativos e simples de preencher, procurando por “CV Template”. Certo que há empresas que exigem que seja esse o modelo que querem receber. Existem também serviços que fazem o seu currículo por si, para o caso da informática não ser o seu forte.

Quando enviar uma candidatura, comece por enviar apenas o currículo em formato pdf., escrevendo no assunto do e-mail a vaga a que se candidata. Não necessita escrever um grande texto nem enviar documentos de identidade ou certificados. Na altura certa, se for caso disso, esses documentos ser-lhe-ão solicitados.

Não é má ideia criar um e-mail próprio para a busca de emprego e ter especial atenção á forma como se apresenta nas redes sociais. Melhore as suas páginas profissionais e peça recomendações dos seus colegas e da sua rede de contactos profissionais. Outra opinião: gráficos, tabelas, figuras, muitas cores não fazem falta e podem dificultar a compreensão do documento. O melhor é que o seu CV tenha um aspecto simples e profissional, de fácil compreensão, que o “venda” da melhor maneira possível e passe uma excelente imagem de si.

No último artigo falou-se da importância de escolher bem e saber o que procura especificamente. Não perca tempo a procurar trabalhos que não deseje muito e que não o façam sentir-se como seria devido no seu local de trabalho. É essencial que passe o dia a fazer algo que gosta e é certo que o trabalho lhe ocupa uma parte enorme do seu dia.

Ficam dadas dicas de como procurar trabalho e de como fazer um currículo campeão. Depois de fazer o seu e enviar candidaturas, vai começar a agendar entrevistas com os recrutadores. Por isso, numa próxima vez podemos explorar a temática das entrevistas de trabalho e como sobreviver bem nessa situação. Recolha a informação que lhe possa ser útil, esmere-se nesta tarefa de fazer um novo currículo profissional seu e aguarde pelo próximo artigo para aprender a dar o seu melhor numa entrevista de trabalho. Até lá!

Vera M. M. Monteiro
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.
Textos deste autor:

RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Últimos Tweets

Memórias da Emigração e das Comunidades https://t.co/tiaA7cgKJD
PAN questiona a Comissão sobre escândalo de abusos a animais em laboratório alemão https://t.co/0ljxSlpyAl
Colóquio português sobre cultura da democracia na Universidade de Zurique https://t.co/W9qbtQrjdx
Follow Jornal das Comunidades on Twitter