(Lusa) - O primeiro-ministro, António Costa, chegou hoje a Cabul, Afeganistão, para uma visita de seis horas às forças militares portuguesas nas missões da NATO naquele país, acompanhado pelo ministro da Defesa e pelo Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas.

António Costa foi recebido no aeroporto Internacional Hamid Karzai (HKIA) a poucos minutos das 11:00 (06:30 em Lisboa) pelo representante nacional mais antigo no teatro de operações do Afeganistão, coronel Raul Matias, e passou revista às forças em parada, seguindo para uma apresentação dos comandantes das forças destacadas.

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, e o Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas (CEMGFA), almirante Silva Ribeiro, acompanham António Costa na visita ao teatro de operações do Afeganistão.

O primeiro-ministro encontra-se depois com o comandante da base militar do aeroporto Hamid Karzai, o brigadeiro-general turco Kanbur, seguindo para um almoço de Natal com os militares portugueses no refeitório da base militar.

À tarde, o primeiro-ministro, o ministro da Defesa Nacional e o CEMGFA partem para o quartel-general da Resolute Support Mission onde se reunirão com o Alto Representante Civil da NATO, embaixador Cornelius Zimmermann.

O programa inclui ainda uma reunião com o comandante da Resolute Support Mission [RS], general norte-americano Scott Miller, despedindo-se dos militares portugueses com a assinatura dos livros de honra da 2.ª Força Nacional Destacada (FND) na missão de apoio à proteção do aeroporto HKAI e na missão de treino e aconselhamento na Escola de Artilharia afegã, em Cabul.

Portugal participa desde maio na RS da NATO com uma força de reação rápida integrada na força de proteção ao Aeroporto Internacional Hamid Karzai, em Cabul. Os 148 militares da 2.ª FND, fizeram o aprontamento na Brigada Mecanizada, no Campo Militar de Santa Margarida, e chegaram a Cabul no início de novembro, comandados pelo major Ricardo Estrela.

Os militares portugueses garantem a segurança do perímetro, ocupando postos de vigia no aeroporto, fazem patrulhas, escoltas a pessoal e material, promovem a proteção de instalações e pessoal durante situações de maior risco e a segurança e controlo de acessos.

Para além da força de reação rápida, Portugal enviou em junho 23 militares do Exército português para uma missão de formação, treino e aconselhamento militar às forças afegãs na Escola de Artilharia de Cabul, até ao final deste ano.

A equipa de 23 militares inclui formadores e um grupo de elementos das Operações Especiais, de Lamego, responsáveis pela proteção dos formadores – graduados de artilharia - no trajeto diário de ida e volta entre a base e a Escola de Artilharia de Cabul.

A `Resolute Support Mission´ começou em 2015 no âmbito do combate ao terrorismo, e visa o treino, aconselhamento e apoio às forças militares e de segurança e o fortalecimento das instituições do Afeganistão, contando atualmente com cerca de 16 mil militares de 41 países.

A RSM sucedeu à ISAF (Força Internacional de Apoio à Segurança) na qual Portugal participou com cerca de 3.200 militares em 12 anos.

A NATO está presente no Afeganistão com mandato da ONU desde 2003, a pedido dos EUA, na sequência do ataque terrorista naquele país em 11 de setembro de 2001.

Pub


Pub