NOTA! Luso.eu usa cookies e tecnologias similares. Se você não alterar as configurações do navegador, você concorda com isso.

Saiba mais aqui

Compreendi

Ryanair mudou as regras de check-in em linha

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

(in bomdia) Os passageiros que têm viagem agendada a partir do dia 13 de junho, pela companhia aérea Ryanair, estão a ser avisados que só podem fazer o check-in 48 horas antes da partida.

A companhia aérea irlandesa, que é a maior low cost da Europa, mudou as regras para os passageiros que escolheram não pagar um extra por um lugar especifico.

Até há dois anos, os passageiros podiam fazer o check-in online uma semana antes da partida. Em 2016, a Ryanair reduziu o check-in para quatro dias.

O check-in do lugar da janela da Ryanair é o lugar mais procurado e agora tornou-se também muito limitado. Atualmente, um passageiro com um voo mais tarde, por exemplo pelas 20:00 de uma sexta-feira pode fazer o check-in a partir da manhã de segunda-feira. Mas com a nova política só pode fazer o check-in grátis até às 20:00 de quarta-feira.

Por outro lado, os passageiros têm a opção de pagar uma taxa – cerca de quatro euros por pessoa e por voo – para reservar um lugar e ter a possibilidade de fazer o check-in dois meses antes do voo.

A mudança aplica-se para as reservas já existentes, bem como para novas reservas.

O check-in online para os clientes, que não escolheram lugares reservados, vai estar disponível de 48 horas a duas horas antes pré-partida para todos os voos a partir da quarta-feira, 13 de junho.”, disse o porta-voz da Ryanair.

A Ryanair ofereceu ainda aos passageiros que vão viajar a partir de 13 de junho, e aos que não pagaram um lugar reservado, a opção de cancelar o voo e pedir o reembolso.

Pub
 


Últimos Tweets

Visitas a Ponte de Lima e Vila Verde https://t.co/qiUsHMD3zz
Dezenas de mortos em colapso de viaduto em Génova - serviços de emergência https://t.co/V1NP12KnPk
Migrações: Portugal vai receber 30 migrantes de navios humanitários https://t.co/gd1vwOm25H
Follow Jornal das Comunidades on Twitter