A  “Association Suisse Aide aux Personnes Diabétiques en Guinée-Bissau”  foi criada a 29 de Abril de 2017 por Adalgisa Lopes (Gisa Lopes), cidadã Guineense nascida  em Bissau, cidade capital da Guiné-Bissau, no ano de 1974.

Gisa Lopes é diabética e o seu percurso normal de vida mudou quando aos 13 anos teve que ir de urgência para Portugal, cidade do Porto,  por causa da doença. Aí viveu até ao ano de 1993, data em que emigrou para Genève - Suiça onde residia uma de suas irmãs.

Já antes da formação da associação, Gisa Lopes arranjava medicamentos que enviava para a Guiné para a sua irmã gémea também diabética  que arranjou quem cuidasse dos diabéticos amputados que se encontravam no Hospital Nacional Simões Mendes.  As despesas eram todas a cargo de Gisa Lopes.

Em Bissau, estas  histórias particulares vieram impulsionar a criação da associação na Suiça e outra na Guiné Bissau,  a ASLUCODIABETES-GB ( Associação para a saúde e luta contra a diabetes na Guiné-Bissau) que tem como papel pôr em pratica o projecto da associação na Suiça, cuidando de trabalhos multidisciplinares na área da Diabetologia.  A necessidade surge com o apoio e financiamento da Ville de Genève e da  Comuna de Lancy, proporcionando o fornecimento de  medicamentos,  materiais adaptados para controlo da glicemia, orientação no regime alimentar e outros.

Com o  apoio e colaboração das enfermeiras especializadas em diabetes do “HUG - Hôpitaux Universitaires de Genève” o seu  projecto e pedido de colaboração  foi  apresentado  ao “Service de Médecine Tropicale et Humaniaire” e aceite,  tendo-se deslocado à Guine-Bissau com um médico e enfermeira  especialistas em diabetes, para o levantamento da gestão dos pacientes diabéticos.

A associação em Bissau executa campanhas de sensibilização, prevenção e despistagem da doença, trabalhando com vários médicos do Hospital,  dos quais se destacam a enfermeira Geralda Tomé e os   Doutores Mboma Sanca e  Cumba Bispo.

Artemisa Lopes acolhe na associação crianças diabéticas vindas de todo o país, principalmente as que precisam de acompanhamento após hospitalização. Durante semanas as crianças e os pais ficam ali alojados para aprenderem como gerir e administrar a insulina e fazerem a  adaptação da alimentação com a dose da insulina administrada, a composição  de um prato equilibrado e outros  cuidados a ter com a doença. Tudo isso lhes é proporcionado de forma gratuita. Todo o financiamento é da Ville de Genève e da Comuna de Lancy do Cantão de Genève.

Muito em breve, Gisa Lopes irá de novo a Bissau com uma equipa médica suiça para o início da formação de médicos guineenses e a criação de uma consulta especializada em Diabetes, que ainda não existe.

As necessidades e carências são muitas e  esperamos que esta missão tão importante se tome como exemplo e  venha a gerar uma onda maior de solidariedadepara ajudar quem tanto necessita de apoio.

Ana Casanova
Author: Ana Casanova
Colaboradora / Correspondente
Pode ler mais sobre este colaborador
Pode ler mais sobre este colaborador

Entre em contacto : Ana Casanova Perfil: Info

Artigos deste Autor:

Pub