terça-feira, 07 fevereiro 2023

A lama dos dias

Fev. 02, 2023 Hits:279 Crónicas

DIGNIFICAR A AUTORIDADE

Fev. 01, 2023 Hits:130 Crónicas

Homoousios

Jan. 31, 2023 Hits:160 Crónicas

O Escorpião Marcelo

Jan. 31, 2023 Hits:107 Opinião

Insuspeito assassino

Jan. 27, 2023 Hits:205 Crónicas

Isto não é um país É …

Jan. 20, 2023 Hits:488 Opinião

A Importância da Educaç…

Jan. 19, 2023 Hits:1879 Crónicas

Epistocracia - O óptimo …

Jan. 15, 2023 Hits:1022 Opinião

No Palácio do Raio

Jan. 15, 2023 Hits:438 Apontamentos

Valença recorda Carta de Couto de D. Sancho (1200), e fundação da Feira por D. Dinis (1282)





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


O município de Valença organiza este fim de semana um Mercado Medieval na sua fortaleza, como forma de assinalar a atribuição da carta de Couto (território defeso com isenção de impostos reais e serviço militar), por D. Sancho I no ano de 1200, e a fundação da feira por D. Dinis.

Tratam-se, a nosso ver, de duas das mais significativas efemérides na evolução histórica, demográfica e económica da localidade, preconizando principalmente a instalação do comércio de fronteira, o qual ainda hoje é uma referência nas finanças locais e do país.

A cidade raiana regressa assim, à idade Média, onde moradores, turistas e a praça – forte estão envolvidos numa celebração única, relevante e de afloração de toda a identidade dos valencianos, recuando oitocentos anos.

O chefe da edilidade, José Manuel Carpinteira, e seus pares continuam deste modo, com um ritmo de eventos quiçá visto ou organizado, com uma janela aberta para o turismo nacional e internacional, e participação das suas gentes.

O cenário da vivência local há séculos atrás, será protagonizado a partir desta sexta – feira no perímetro de mais de cinco quilómetros da sua muralha, com espectáculos de fogo, torneios apeados e a cavalo, lutas, teatro de rua, animação com serpentes, malabaristas, acampamento militar, carrossel medieval, estábulos, etc.

Da nossa investigação, podemos informar, que foi o rei D. Dinis em sua Carta de 3 de Maio de 1282, quem instituiu em Valença duas feiras anuais de 15 dias: na Páscoa e Agosto (Torre do Tombo, Chancelaria, Livro I, fls 46v). O mesmo monarca, em 1 de Abril de 1315, estando em Santarém, outorga um outro mercado, então mensal para que “hajam feira uma vez em cada mês e que escolham entre si um dia no mês e que a façam “, lê – se no documento régio.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Tito Morais
Author: Tito MoraisEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 720  pessoas que estão a ver esta página no momento, e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?