sexta-feira, 19 agosto 2022

Férias em Portugal

Ago. 19, 2022 Hits:16 Opinião

(ENGIE)nharia jurídica

Ago. 13, 2022 Hits:69 Opinião

O REI DOS CATALISADORES (…

Ago. 09, 2022 Hits:140 Opinião

A IGREJA QUE NÃO ACREDIT…

Ago. 08, 2022 Hits:432 Opinião

Consequências do Dever

Ago. 08, 2022 Hits:161 Crónicas

A Sombra e as Árvores

Ago. 07, 2022 Hits:296 Crónicas

Pai rico, Pai pobre

Ago. 04, 2022 Hits:248 Crónicas

DA LEITURA

Ago. 02, 2022 Hits:105 Crónicas

Enquanto o pau vai e vem

Jul. 31, 2022 Hits:110 Crónicas

Relatório alerta para aumento de 40% de ameaças à liberdade de imprensa na Europa em 2020





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


As ameaças à liberdade de informação aumentaram 40% em 2020, nos 47 países do Conselho da Europa, com 201 casos graves, de acordo com um relatório hoje divulgado pela Plataforma para a Proteção do Jornalismo e Segurança dos Jornalistas.

O mais recente relatório anual da organização destaca como ameaças específicas à liberdade dos ‘media’ as restrições extraordinárias impostas às atividades dos jornalistas por leis e regulamentos que deram resposta à pandemia de covid-19.

O documento mostra um aumento de 40% de casos de ameaças à liberdade de informação, em 2020, comparando com o ano anterior, realçando um número recorde de ataques físicos a jornalistas (52 casos) e de assédio ou intimidação (70 casos).

Os alertas de casos mais frequentes, recebidos pela Plataforma para a Proteção do Jornalismo e Segurança dos Jornalistas, são os de ataques à integridade física (24%), assédio e intimidação (24%) e detenção de jornalistas (16%).

O documento analisa as ameaças sérias à liberdade de imprensa, incluindo as de impunidade de crimes contra jornalistas, relatando 24 casos de impunidade pelo assassínio de jornalistas que ainda não tiveram consequências, bem como numerosos constrangimentos criados pelo Estado a meios de comunicação social independentes, assédio judicial, pressão política e vigilância de jornalistas.

Num comunicado divulgado antes do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, que se celebra no dia 03 de maio, a secretária-geral do Conselho da Europa, Marija Buric, pediu aos governos europeus para mostrarem vontade política para proteger os jornalistas e o jornalismo independente.

“A liberdade dos ‘media’ é um pilar essencial das nossas democracias, que muitas vezes é tomada por garantida. O respeito pela liberdade dos ‘media’ está em declínio em muitos países. Nos últimos anos, assistimos a um aumento do número de casos de violência e intimidação contra jornalistas”, denunciou Buric.

“Durante a pandemia de covid-19, houve um forte aumento nas denúncias de violência contra jornalistas, bem como de censura e represálias por questionar as políticas governamentais. Ao mesmo tempo, os ‘media’ de qualidade enfrentam sérios desafios económicos e muitos jornalistas perderam os seus empregos devido à pandemia”, acrescentou a secretária-geral do Conselho Europeu, no comunicado.

Perante esta situação, Buric disse que o Conselho da Europa “está pronto para apoiar os estados membros na criação e promoção de um ambiente em que os ‘media’ plurais e independentes possam desempenhar o seu papel e contribuir para tornar as nossas democracias mais robustas”.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Carla Pimenta
Author: Carla PimentaEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 732 visitantes e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?