Covid-19: Macedo de Cavaleiros mantém feiras e mercadosda Unidade Local de Saúde do Alto Minho.



(Lusa) – A Câmara de Macedo de Cavaleiros, no distrito de Bragança, decidiu autorizar a realização de feiras e mercados, apesar de o concelho constar na lista dos 121 com risco elevado da pandemia covid-19.

A autarquia divulgou na terça-feira nas redes sociais que “decidiu a continuidade da realização das feiras mensais no concelho, assim como a realização da iniciativa "Mercados dos Produtos da Terra", e ainda a atividade de venda no mercado municipal.

O município justifica que recorreu “ao uso das competências da Resolução do Conselho de Ministros”, que entrega às câmaras municipais a decisão de autorização da realização de feiras e mercados.

Macedo de Cavaleiros é um dos 121 concelhos portugueses que está abrangido, a partir de hoje e até 19 de novembro, por medidas especiais para contenção da pandemia covid-19, por ser considerado um concelho de risco elevado.

No despacho que determina a continuidade das feiras e mercados, o município de Macedo de Cavaleiros esclarece que “implementou medidas de segurança, indo ao encontro das orientações definidas pela Direção-Geral da Saúde (DGS)”.

Nesse sentido, autoriza a continuidade da realização das feiras mensais no concelho, a realização da iniciativa “Mercado dos Produtos da Terra” e a atividade de venda no mercado municipal.

De acordo com dados oficiais, no concelho de Macedo de Cavaleiros há 67 casos ativos de infeção pelo novo coronavírus, mais de metade dos quais num lar de idosos privado, a Casa de Repouso Afonso, com quatro mortes entre os 27 dos 40 utentes infetadas e onde testaram também positivo 10 dos 21 funcionários.

O distrito de Bragança tem perto de 700 casos de infeção pelo novo coronavírus ativos e contabiliza mais de 950 recuperados entre os cerca de 1.700 casos confirmados desde o início da pandemia.

Desde março, foram registadas na região cerca de 60 mortes associadas à covid-19

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,2 milhões de mortos e mais de 46,9 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.635 pessoas dos 149.443 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da DGS.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.


Adicionar o seu comentário aqui!