Faça login na sua conta

Usuário *
Senha *
Lembre de mim

Crie a sua conta aqui!

Os campos marcados com um asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Usuário *
Senha *
Verifique a senha *
Email *
Verificar e-mail *
Captcha *
Reload Captcha
quinta-feira, 27 janeiro 2022

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário

Coimbra recebe equipamento que melhora qualidade dos órgãos para transplante



O luso.eu Jornal das comunidades é gratuito mas quero ajudar!

(Lusa) - O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) é o primeiro centro de transplantação português a utilizar um equipamento para perfusão hipotérmica oxigenada de fígado e rim, que permite melhorar a qualidade dos órgãos para transplante.

O equipamento, apresentado hoje à tarde em conferência de imprensa, permite melhorar a qualidade dos enxertos, a função hepática pós-transplante, a sobrevivência de enxertos e recetores e a segurança da transplantação, segundo a coordenadora da Unidade de Transplantação Hepática do CHUC.

"Este dispositivo permite maximizar a utilização de órgãos para transplante, utilizar órgãos que habitualmente até podem ser recusados por serem de dadores marginais ou critérios expandidos, como é o caso de dadores idosos, de coração parado ou com muitas comorbilidades ou até com algumas alterações analíticas", disse Dulce Diogo.

A responsável salientou ainda que, no pós-transplante, a técnica de perfusão hipotérmica oxigenada permite reduzir as taxas de retransplante na primeira semana, além de que "o fígado começa logo a funcionar após o transplante e isso, por vezes, é determinante, principalmente nos doentes com situações mais graves".

O dispositivo permite ainda reduzir significativamente a taxa de complicações biliares, que são, atualmente, "uma das principais complicações tardias do pós-transplante hepático e que conduzem a um aumento da morbimortalidade dos recetores".

Para o diretor clínico, Nuno Devesa, o novo equipamento, que já foi utilizado em duas situações, vai possibilitar "melhorar as transplantações e os números muitíssimo bons do CHUC", numa área que "é uma bandeira".

O CHUC, que lidera nas doações em Portugal, pretende assim "aumentar a taxa de aproveitamento dos órgãos", cujos dadores têm, atualmente, uma média de 60 anos, quando há duas décadas era de 32 anos, o que aumenta os riscos das condições ideais para transplantação.


Adicionar o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

TEMOS NO SITE

Temos 284 visitantes e 0 membros em linha

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

News Fotografia