terça-feira, 07 fevereiro 2023

A lama dos dias

Fev. 02, 2023 Hits:279 Crónicas

DIGNIFICAR A AUTORIDADE

Fev. 01, 2023 Hits:130 Crónicas

Homoousios

Jan. 31, 2023 Hits:160 Crónicas

O Escorpião Marcelo

Jan. 31, 2023 Hits:107 Opinião

Insuspeito assassino

Jan. 27, 2023 Hits:205 Crónicas

Isto não é um país É …

Jan. 20, 2023 Hits:488 Opinião

A Importância da Educaç…

Jan. 19, 2023 Hits:1879 Crónicas

Epistocracia - O óptimo …

Jan. 15, 2023 Hits:1020 Opinião

No Palácio do Raio

Jan. 15, 2023 Hits:438 Apontamentos

Caminha e A Guarda querem trocar ‘ferryboat’ por barco elétrico





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


Caminha: A embarcação que liga Caminha a A Guarda faz tempo que está parada! Recentemente o alcaide de A Guarda sublinhava que provavelmente esta só voltaria a navegar em 2023 … E, agora e a prepósito da cimeira Ibéricaque acontece na próxima 6ª feira, dia 4 de Novembro, fala-se de um barco elétrico.

Os autarcas das duas margens enviaram uma carta à ministra da Coesão Territorial, ,Ana Abrunhosa, para incluir o assunto na agenda.

Rui Lages e António Lomba apelam à sensibilização da governante para o tema e afirmam que “oque aqui está em causa é a união dos dois povos, que desde sempre viram o rio Minho como um espaço comum que os une, mas a verdade é que, nestes últimos tempos tem sido um espaço que nos tem separado, por contingências alheias aos próprios concelhos”.

O ferry-boat Sta. Rita de Cássia que navega à mais de três décadas e que nos últimos tempos a sua navegação foi interrompida por problemas de atracagem do lado galego, cujo cais de atracação se encontra inoperacional e a necessitar de uma intervenção da ordem dos 500 mil euros, que não estará solucionada antes do verão do próximo ano.

A carta ainda refere que “a embarcação, de idade avançada, necessita de “sersubstituída por outra mais eficaz, movida a energias mais limpas e amigas do ambiente, com menor calado e capaz de superar as questões do assoreamento do rio Minho”.

Segundo se aponta o projecto de um barco elétrico poderá rondar os oito a 8,5 milhões de euros”.

Recordar que o ‘ferryboat’ Santa Rita de Cássia, que liga a vila de Caminha, a A Guarda, começou a cruzar o rio Minho em 1995, mas ao longo dos anos a travessia esteve várias vezes interrompida, em algumas situações por largos períodos, ou devido a avarias na embarcação ou pelo assoreamento do canal de navegação.

Desde Maio último, a ligação através do ‘ferryboat’ Santa Rita de Cássia está interrompida devido a “problemas graves” no cais galego que impede a atracação do ‘ferry’ na margem galega com o mínimo de segurança”.

Caminha é único concelho do vale do Minho, no distrito de Viana do Castelo, que depende do transporte fluvial para garantir a ligação à Galiza.

Vila Nova de Cerveira, Valença, Monção e Melgaço dispõem de pontes internacionais.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Isabel Varela
Author: Isabel VarelaEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 583  pessoas que estão a ver esta página no momento, e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?