“Caminha deixou de estar em zona de risco da qualidade da água”





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


“CAMINHA É O CONCELHO DO ALTO MINHO ONDE O ÍNDICE DE QUALIDADE DE ÁGUA MAIS SUBIU NO ANO DE 2020”, esta é a afirmação que se pode ler numa nota emitida hoje pelo executivo do concelho de Caminha.

Segundo o Relatório Anual dos Serviços de Águas e Resíduos em Portugal da autoria da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos referente a 2020, indica que “oconcelho de Caminha melhorou os índices de segurança e qualidade da água que chega a casa das pessoas e das empresas através da rede de distribuição pública. A autarquia caminhense liderada pelo socialista Miguel Alves considera este facto “relevante” porque desde “2016 que a ERSAR vinha apontando a existência de riscos na qualidade da água distribuída, situação invertida em 2020 graças à melhoria no controlo de água e dos depósitos, ao investimento na regeneração da rede de distribuição, ao incremento do controlo e à maior eficiência dos serviços de piquete. A segurança da água pública no concelho”.

A referida nota emitida ainda destaca que este relatório coloca Caminha no “grupo dos Municípios que têm água com qualidade acima da média nacional”.

O autarca Miguel Alves considera esta notícia como de “primordial importância” para o concelho e que “confirma o acerto da opção estratégica da Câmara Municipal de Caminha ao agregar-se com outros concelhos do distrito e com a empresa pública Águas de Portugal. Eu sei que a adesão de Caminha às Águas do Alto Minho  não foi popular, é óbvio que teve impactos políticos sérios nas últimas eleições, reconheço também que os primeiros meses de funcionamento da parceria foram terríveis e sei, sobretudo, que esta foi uma mudança que teve impacto nas economias familiares mas não podia deixar de ser feita de modo a garantir um acréscimo na qualidade da água que chega às pessoas, a permitir um maior investimento nas redes de abastecimento, a reduzir as perdas de água na ordem dos 40% e a aliviar a difícil situação financeira do Município que todos os anos acumulava uma dívida de 1 milhão de euros com as facturas de água e saneamento”.

Recordar que os munícipes do concelho de Caminha continuam descontentes com esta adesão à empresa Águas do Alto Minho e apontam o dedo ao valor das suas facturas, existindo no concelho quem tenha recebido facturas exorbitantes a pagar no valor de 800 € estando agora a pagar de uma forma faseada. Actualmente, o descontentamento no valor a cobrar pela água continua a desagradar …

Luso.eu - Jornal das comunidades
Isabel Varela
Author: Isabel VarelaEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!