sábado, 24 setembro 2022

OS TEMPOS DAS CIDADES

Set. 19, 2022 Hits:96 Crónicas

Quem vai pagar impostos?

Set. 19, 2022 Hits:83 Opinião

Os robots não devem paga…

Set. 18, 2022 Hits:103 Opinião

Paternalismo

Set. 14, 2022 Hits:80 Crónicas

A BICICLETA DOS ANJOS

Set. 12, 2022 Hits:61 Crónicas

UM CIMBALINO SE FAZ FAVOR

Set. 10, 2022 Hits:333 Crónicas

O aroma do café no ar

Set. 05, 2022 Hits:76 Crónicas

Rota dos Registos Civis

Set. 04, 2022 Hits:218 Opinião

Espanto e Vergonha

Ago. 28, 2022 Hits:126 Opinião

“Barco do amor” leva Vila Verde a Estação Náutica de Portugal





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


Adesão a rede nacional consolida aposta estratégica na valorização do património natural do concelho 

O “barco do amor” – uma canoa pintada com os motivos dos Lenços de Namorados – foi o centro das atenções na Bolsa de Turismo de Lisboa, assinalando a certificação do concelho de Vila Verde como Estação Náutica de Portugal, numa cerimónia pública presidida pela ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa. 

“A certificação e a adesão de Vila Verde à rede de Estações Náuticas de Portugal vêm consolidar a aposta estratégica na valorização do património riquíssimo do concelho como motor de desenvolvimento sustentável e com um impacto determinante para a qualidade de vida do nosso território”, sustentou a presidente da Câmara Municipal, Júlia Rodrigues Fernandes. 

O exemplo de Vila Verde, pelo trabalho continuado e integrado de potenciação dos recursos endógenos associados às tradições e marcas da identidade cultural do concelho, foi reconhecido pela ministra Ana Abrunhosa, salientando as mais-valias que diferenciam e reforçam a capacitação dos territórios, designadamente ao nível da economia e de forma particular no turismo. 

A governante apontou também como referência a canoa pintada especialmente para o evento com os motivos dos Lenços de Namorados e que resultou de um desafio lançado à autarca Júlia Fernandes pelo dirigente da Fórum Oceano, António José Correia. O chamado “barco do amor”, pintado à mão pelas artesãs Fátima Mendes e Lucília Dantas, foi transportado pelo campeão mundial de maratona em canoagem, José Ramalho, e pelo presidente do Clube Náutico de Prado, Horácio Lima. 

Recursos hídricos 

Numa jornada que contou ainda com a presença das bordadeiras da Aliança Artesanal e ações de promoção no espaço Amar o Minho dinamizado pela CIM Cávado – inserido na área do Turismo Porto e Norte de Portugal –, Júlia Rodrigues Fernandes salientou o trabalho que tem sido efetuado na área do turismo de natureza, sempre com a tónica na sustentabilidade. 

Nesse âmbito, a autarca destacou a atenção para a valorização o património natural do concelho e os recursos associados à água, como os rios Cávado, Homem e Neiva e as margens, as diversas ribeiras, praias fluviais e a paisagem envolvente. 

Acompanhada pelo vice-presidente Manuel Lopes, a presidente do Município de Vila Verde deu ainda conta do plano de investimentos e construção de um leque de infraestruturas e equipamentos, como a Ecovia do Cávado e do Homem, a Rede Municipal de Trilhos, o futuro Parque da Vila, a Praia do Faial e áreas de lazer fluviais, entre outros). 

Júlia Fernandes assumiu que a adesão de Vila Verde à rede de Estações Náuticas visa também reforçar o trabalho de qualificação e diversificação da oferta turística e da atratividade do território, de forma a contribuir igualmente para a melhoria da qualidade de vida das populações locais. 

Nesse âmbito, a autarca destacou a importância do trabalho em rede, com o envolvimento de diferentes parceiros e agentes de desenvolvimento, das empresas às instituições, associações e autarquias locais, fazendo uma referência especial ao Clube Náutico de Prado. 

Estações Náuticas 

As Estações Náuticas de Portugal são um projeto desenvolvido pela Fórum Oceano, em cooperação com a Associação Empresarial de Portugal, que visa potenciar os recursos marítimos e fluviais do país, procurando agregar um conjunto de entidades locais e regionais identificadas com um território. 

O processo envolve as administrações locais, entidades regionais e locais de turismo, clubes náuticos, marinas e portos de recreio, operadores marítimo-turísticos, estabelecimentos hoteleiros e de restauração, entre outros, devidamente organizados em rede e seguindo um protocolo de ação validado pelos intervenientes. 

As Estações Náuticas constituem um modelo que apresenta um conjunto de virtualidades para as organizações envolvidas e respetivos territórios, nomeadamente no que diz respeito à diversificação da oferta turística, combate à sazonalidade, aumento do gasto por visitante, imagem de referência e qualidade, promoção conjunta de produtos turísticos a nível internacional. 

Atualmente existem 29 estações náuticas portuguesas, ao longo da costa, em rios, lagos e albufeiras de barragens. A rede envolve cerca de 1.200 parceiros, 63​% dos quais são empresas de animação turística e operadores marítimo-turísticos, agências de viagens, alojamento local, empreendimentos turísticos, restauração, entre outras.​ 

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 891 visitantes e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?