segunda-feira, 26 setembro 2022

OS TEMPOS DAS CIDADES

Set. 19, 2022 Hits:98 Crónicas

Quem vai pagar impostos?

Set. 19, 2022 Hits:87 Opinião

Os robots não devem paga…

Set. 18, 2022 Hits:117 Opinião

Paternalismo

Set. 14, 2022 Hits:82 Crónicas

A BICICLETA DOS ANJOS

Set. 12, 2022 Hits:65 Crónicas

UM CIMBALINO SE FAZ FAVOR

Set. 10, 2022 Hits:336 Crónicas

O aroma do café no ar

Set. 05, 2022 Hits:79 Crónicas

Rota dos Registos Civis

Set. 04, 2022 Hits:219 Opinião

Espanto e Vergonha

Ago. 28, 2022 Hits:129 Opinião

Ucrânia: Rússia anuncia corredores humanitários em quatro cidades ucranianas





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


Moscovo vai permitir hoje a abertura de corredores humanitários, a partir das 10:00 (07:00 em Lisboa), na capital ucraniana, Kiev, e nas cidades de Mariupol, Kharkiv e Sumi.

A informação foi prestada à Cruz Vermelha, à Organização para a Segurança e Cooperação na Europa e à ONU, segundo agências de notícias russas.

A decisão foi tomada "perante a situação humanitária catastrófica e o seu forte agravamento nas cidades de Kiev, Kharkiv, Sumi e Mariupol", justificaram as Forças Armadas russas.

Um dos corredores será aberto a partir de Kiev, passando pelas cidades de Gostomel, chegando a Chernobyl e às cidades bielorrussas de Gden e Gomel, com o posterior transporte, por via aérea, das pessoas deslocadas para a Federação Russa.

A partida de Mariupol será por duas vias. A primeira rota segue para Rostov-on-Don, já na Rússia, e depois por via aérea, ferroviária e rodoviária, para destinos selecionados ou centros de alojamento temporário. O segundo é entre Mariupol e Mangush, na bacia de Donetsk.

A rota de Kharkiv segue para Belgorod, já na Federação Russa, para depois fazer chegar os refugiados por via aérea, ferroviária e rodoviária para destinos selecionados ou centros de alojamento temporário.

Já a partir de Sumi estão estabelecidas duas rotas: a primeira para Belgorod e a segunda para Poltava, na Ucrânia.

A Rússia lançou na madrugada de 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que, segundo as autoridades de Kiev, já fez mais de 2.000 mortos entre a população civil.

Os ataques provocaram também a fuga de mais de 1,5 milhões de pessoas para os países vizinhos, de acordo com a ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas a Moscovo.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 731 visitantes e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?