domingo, 27 novembro 2022

DEPOIS DO EUROMILHÕES

Nov. 27, 2022 Hits:74 Crónicas

PORTUGAL É RONALDO E RON…

Nov. 24, 2022 Hits:258 Opinião

Crónica triste para um d…

Nov. 20, 2022 Hits:136 Opinião

Em Ocasiões Especiais

Nov. 20, 2022 Hits:509 Crónicas

Os sonhos adiados

Nov. 19, 2022 Hits:204 Crónicas

IXELLES – UMA VILA DESO…

Nov. 15, 2022 Hits:219 Opinião

CRIANÇA PRESA NO PENICO

Nov. 13, 2022 Hits:458 Crónicas

Duas tardes em Coja

Nov. 13, 2022 Hits:788 Apontamentos

Esta vida de hipster

Nov. 08, 2022 Hits:125 Crónicas

Ladroagem Eleitoral

Nov. 06, 2022 Hits:333 Opinião

O “Auto Suicídio” de…

Nov. 04, 2022 Hits:336 Opinião

Ucrânia: Pelo menos 351 civis mortos e 707 feridos desde início da invasão russa - ONU





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


Pelo menos 351 civis ucranianos morreram e 707 ficaram feridos na sequência da invasão russa da Ucrânia, de acordo com o balanço hoje divulgado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos.

“Entre as 04:00 de 24 de fevereiro e as 00:00 de 04 de março, o Alto Comissariado registou 1.058 vítimas civis na Ucrânia: 351 mortos e 707 feridos”, refere o relatório.

Os mortos foram identificados como 71 homens, 41 mulheres, oito meninos e quatro meninas, além de 10 crianças e 217 adultos cuja identificação ainda está pendente.

Entre os feridos contam-se 58 homens, 40 mulheres, 11 meninas e dois meninos, bem como 23 crianças e 573 adultos ainda sem identificação.

A organização das Nações Unidas (ONU) estima que 355 das vítimas – 63 mortos e 292 feridos – estivessem em território controlado pelo Governo ucraniano.

Na área sob controlo das autoproclamadas repúblicas de Donetsk e Lugansk, a ONU confirmou 116 vítimas (23 mortos e 93 feridos).

Segundo as Nações Unidas, a maioria das vítimas civis foi causada pelo uso de armas explosivas com “ampla área de impacto”, através de artilharia pesada, lançamento de foguetes e ataques aéreos.

Os números reais “são consideravelmente maiores, principalmente no território controlado pelo Governo e sobretudo nos últimos dias”, admite a ONU no documento hoje divulgado, explicando que os dados apontados pela organização são menores devido à falta de informações de “alguns locais onde decorreram intensas hostilidades e muitos pormenores sobre as vítimas ainda estão à espera de verificação”.

O organismo dos direitos humanos usa uma metodologia rigorosa e apenas contabiliza as vítimas que consegue confirmar, acrescenta.

As autoridades ucranianas apresentaram números muito mais altos: segundo o Estado ucraniano, mais de 2.000 cidadãos civis foram mortos, incluindo crianças, até quarta-feira durante a invasão da Rússia.

A Rússia lançou, na madrugada de 24 de fevereiro, uma ofensiva militar, tendo os ataques provocado, de acordo com as Nações Unidas, mais de 1,2 milhões de refugiados.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas para isolar ainda mais Moscovo.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 459  pessoas que estão a ver esta página no momento, e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?