domingo, 26 junho 2022

Dinamite

Jun. 21, 2022 Hits:45 Opinião

UM NOVO DEUS (Crónica)

Jun. 21, 2022 Hits:88 Crónicas

A cidade desperta

Jun. 15, 2022 Hits:175 Crónicas

Quantos dias tem a semana

Jun. 05, 2022 Hits:366 Crónicas

Aventuras (Crónica)

Jun. 02, 2022 Hits:164 Crónicas

A Outra Cena da Filosofia

maio 30, 2022 Hits:170 Crónicas

Na terra dos gnomos

maio 30, 2022 Hits:517 Crónicas

O Futuro é a Europa

maio 26, 2022 Hits:429 Opinião

Do Dia da Europa aos desa…

maio 25, 2022 Hits:100 Opinião

Ucrânia: Reunião extraordinária de MNE da NATO na sexta-feira em Bruxelas





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


A NATO anunciou hoje a realização de uma reunião extraordinária do Conselho do Atlântico Norte, ao nível de ministros dos Negócios Estrangeiros da Aliança, na próxima sexta-feira, em Bruxelas, sobre a agressão militar em curso da Rússia à Ucrânia.

Em comunicado, a organização indica que a reunião do Conselho do Atlântico Norte - o principal organismo de decisão política da NATO, no qual cada país membro tem assento – será presencial, no quartel-general da Aliança, e será presidida pelo secretário-geral, Jens Stoltenberg.

Hoje mesmo, durante uma visita à Polónia, Stoltenberg acusou o Presidente russo de ter destruído a paz na Europa, mas disse que a Aliança não vê necessidade de alterar o seu nível de alerta de armas nucleares, apesar das ameaças de Vladimir Putin.

“Faremos sempre o que for preciso para proteger e defender os nossos aliados, mas não pensamos que haja qualquer necessidade agora de alterar os níveis de alerta das forças nucleares da NATO”, disse Stoltenberg.

O Kremlin iniciou a invasão da Ucrânia na quinta-feira e hoje atingiu o centro da cidade ucraniana de Kharkiv, a segunda maior do país.

A Rússia lançou o espetro de uma guerra nuclear, anunciando na segunda-feira que as suas forças, em terra, no ar e no mar, estavam em alerta máximo, seguindo uma ordem dada no fim de semana por Putin.

A NATO em si não dispõe de armas nucleares, mas três dos seus membros têm este potencial – Estados Unidos, Reino Unido e França.

“Acreditamos firmemente que é imprudente e irresponsável a forma como a Rússia está a falar de armas nucleares”, afirmou Stoltenberg, recordando que a Rússia assinou vários documentos concordando que a guerra nuclear não pode ser ganha e não deve ser travada.

Os Estados Unidos reforçaram recentemente o flanco oriental do território da NATO, com 5.000 tropas adicionais deslocadas para a Polónia e a Roménia.

Ambos os países fazem fronteira com a Ucrânia, que não faz parte da NATO.

Um contingente de tropas francesas viaja hoje para a Roménia para reforçar a região, indicou Stoltenberg.

A Rússia lançou na quinta-feira de madrugada uma ofensiva militar na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamento de alvos em várias cidades, que já mataram mais de 350 civis, incluindo crianças, segundo Kiev.

A ONU deu conta de um milhão deslocados dentro da Ucrânia e mais de 660.000 refugiados na Polónia, Hungria, Moldova e Roménia.

O Presidente russo, Vladimir Putin, disse que a "operação militar especial" na Ucrânia visa desmilitarizar o país vizinho e que era a única maneira de a Rússia se defender, precisando o Kremlin que a ofensiva durará o tempo necessário.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 1521 visitantes e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?