segunda-feira, 23 maio 2022

Serafim Saudade

maio 22, 2022 Hits:31 Opinião

A Sabedoria e o Escrito

maio 18, 2022 Hits:75 Crónicas

Como se houvesse amanhã

maio 15, 2022 Hits:109 Crónicas

PCP (Partido Cumplicement…

maio 09, 2022 Hits:190 Opinião

Dia Mundial da Língua Po…

maio 05, 2022 Hits:305 Opinião

Vereadores da Coligação…

maio 04, 2022 Hits:825 Opinião

Um domingo qualquer

maio 01, 2022 Hits:212 Crónicas

Portugal dos pequenitos

maio 01, 2022 Hits:192 Opinião

Homenagem

Abr. 30, 2022 Hits:150 Crónicas

PUTIN QUE PARIU A COMUNID…

Abr. 30, 2022 Hits:116 Opinião

O mal dos outros pode ser…

Abr. 25, 2022 Hits:1589 Opinião

Marisa Matias visita migrantes em greve de fome em Bruxelas





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


Marisa Matias deslocou-se esta quinta-feira, 8 de junho, à Église du Béquinage, em Bruxelas, local onde dezenas de migrantes se encontram em greve de fome há 48 dias em protesto contra a morosidade do governo belga no tratamento dos processos de regularização. 

Esta é a segunda visita da eurodeputada do Bloco de Esquerda ao local. A situação agravou-se nos últimos dias, quando os manifestantes fecharam as portas da igreja e passaram a recusar qualquer tipo de auxílio, inclusive médico.

Atrás das portas da Église du Béquinage, situada perto da praça de Saint-Catherine, os migrantes encontram-se em greve de fome há 48 dias. Na semana passada, a deputada do Bloco de Esquerda Marisa Matias foi conhecer a sua situação e manifestar a sua solidariedade.

A irredutibilidade do governo belga face ao apelo para a regularização da situação dos migrantes agravou o cenário em que se vivia durante o último mês. “Fecharam as portas da igreja e não permitem que nenhum tipo de auxílio entre. Estão a usar as suas vidas e os seus corpos porque é tudo o que lhes resta nesta luta desigual”, referiu Marisa Matias.

"A maior parte deles está há mais de dez anos na Bélgica e continua sem papéis, embora muitos trabalhem em repartições e serviços públicos do mesmo Estado que lhes recusa os documentos", explicou a eurodeputada. 

Este é apenas um dos três locais onde em Bruxelas mais de 500 pessoas estão dispostas a morrer pelo seu direito fundamental a um documento.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Rúben Castro
Author: Rúben CastroEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 1049 visitantes e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?