terça-feira, 07 fevereiro 2023

A lama dos dias

Fev. 02, 2023 Hits:279 Crónicas

DIGNIFICAR A AUTORIDADE

Fev. 01, 2023 Hits:130 Crónicas

Homoousios

Jan. 31, 2023 Hits:160 Crónicas

O Escorpião Marcelo

Jan. 31, 2023 Hits:107 Opinião

Insuspeito assassino

Jan. 27, 2023 Hits:205 Crónicas

Isto não é um país É …

Jan. 20, 2023 Hits:488 Opinião

A Importância da Educaç…

Jan. 19, 2023 Hits:1880 Crónicas

Epistocracia - O óptimo …

Jan. 15, 2023 Hits:1022 Opinião

No Palácio do Raio

Jan. 15, 2023 Hits:438 Apontamentos

MAIS UM DRAMA que deixou a capital em choque!





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


Mais um dramático episódio com os agentes de segurança, em Bruxelas. Dois polícias foram vítimas de um feroz ataque, com arma branca. Um deles, o malogrado Thomas Monjoie, de 29 anos e natural de Donceel – Liège, não resistiu aos ferimentos e acabou por falecer! O seu colega de serviço teve alta hospitalar, dois dias depois.

Quinta-feira à noite - 10 de Novembro, ambiente citadino normal quando, de repente, num cruzamento na Rue d'Aerscott Scharbeek se dá o drama! Uma zona da cidade onde o crime espreita a cada hora. O autor o golpe, de navalha armado consumou o seu intento:  atacar e ferir de morte a polícia. "Uma pessoa conhecida por ser radicalizada apresentou-se num posto de polícia, declarando ódio em relação aos agentes da polícia e a vontade de cometer o irreparável. Este foi um crime anunciado, que ninguém travou. Como foi possível?" Interrogaram-se os sindicalistas, que apontaram outras lacunas e falta de meios, para o exercício na missão, tantas vezes ingrata, de amparo e de protecção à população. O suspeito é considerado um psicopata e tem cadastro policial. Já tinha sido encarcerado por outros crimes.

As cirenes dos veículos azul e branco, as luzes e toques dos bombeiros, também eles presentes fizeram-se ouvir, num alerta e lembrança de outros casos, que visaram ataques à polícia.

Esta ocorrência veio levantar de novo as vozes da contestação, com várias manifestações e a mobilização dos sindicatos, que acusam, os ministros da Justiça e do Interior. "Não podemos fazer de conta, de não sermos escutados e atendidos, apesar dos gritos de alarme lançados, sobre a destruição sistemática do nosso estatuto, da falta de financiamento e da comunicação, provocando drama atrás de drama. O poder judicial, neste caso, não viu o perigo! O conjunto da polícia pede contas aos poderes politico e judicial. Que estão desligados de uma realidade vivida no terreno, tal como é vivida, quotidianamente, pelos agentes de polícia".

O primeiro ministro belga, Alexander De Croo, também se manifestou, através da sua conta de Twitter. O chefe do executivo belga deu as condolências às famílias das vítimas e recordou que os agentes da polícia "arriscam as suas vidas diariamente para assegurar a segurança dos cidadãos", acrescentando que este ataque o "demonstra uma vez mais".

Nos últimos anos, a Bélgica tem sido o alvo de vários ataques contra agentes da autoridade. O país, onde os atentados terroristas fizeram demasiadas vítimas. O último ataque jihadista de grandes dimensões aconteceu, na primavera de 2016. Perderam a vida cerca de 30 pessoas e três centenas de feridos.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 693  pessoas que estão a ver esta página no momento, e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?