O Benfica goleou hoje o Vitória de Setúbal, por 6-0, em jogo da 12.ª jornada da I Liga de futebol e capitalizou o empate do FC Porto (1-1) com o Aves, ficando a três pontos dos 'dragões', próximo adversário.

Para o Vitória, foi o culminar de uma semana negra - sem razões para festejar o aniversário - marcada pela eliminação da Taça de Portugal, também às mãos do Benfica (2-0), e pela demissão da direção liderada por Fernando Oliveira.

Este é um resultado que, por um lado acende emoções no jogo agendado para a próxima sexta-feira, no Estádio do Dragão, às 20:30, já que as duas equipas estão separadas por três pontos, por outro fez reviver José Couceiro a goleada sofrida em 2014/15, ao serviço do Estoril-Praia.

À semelhança de então, o Vitória de Setúbal escolheu o campo e 'obrigou' o Benfica a jogar na segunda parte de costas para a zona de adeptos organizados, ao contrário do que faz habitualmente.

Tal como em 2014/15, Luisão abriu o marcador, Jonas bisou e Salvio também fez o gosto ao pé. Apenas Pizzi, o melhor em campo esta noite, não viu o nome registado na lista dos marcadores. Ele e Lima, que já não veste de 'encarnado'. Além disso, Couceiro viu-se reduzido a 10 elementos com a expulsão de Anderson Esiti e esta noite foi com Nuno Pinto. Em ambos, os únicos amarelados da equipa.

Esta noite, o Benfica fez o que lhe competia: vencer. Não que tenha feito um jogo de encher o olho. Inicialmente recorreu a lances de bola parada para se superiorizar ao Vitória de Setúbal - os primeiros três golos - e depois aproveitou a superioridade numérica para dilatar o marcador.

Logo aos 07 minutos, Pizzi, na esquerda, fez a bola sobrevoar a área. Perto do segundo poste Jardel amorteceu para Luisão, de pé esquerdo, fazer o 1-0. Depois, novamente Pizzi, aos 39, de canto, na direita, colocou a bola à medida da cabeça de Jonas, para o brasileiro fazer o segundo e atingir os 100 golos com a camisola encarnada.

Pelo meio, o Vitória de Setúbal teve a oportunidade de igualar o encontro através Gonçalo Paciência, que surgiu isolado na grande área do Benfica, mas deixou-se antecipar por André Almeida quando armava o remate.

Em cima do intervalo tudo se complicou para os comandados de José Couceiro quando o árbitro Luís Godinho exibiu o segundo cartão amarelo a Nuno Pinto, deixando o Vitória de Setúbal reduzido a 10 elementos.

A abrir a segunda parte, aos 48 minutos, Salvio esperou a saída de Cristiano e com um remate rasteiro fez o 3-0, após assistência de Pizzi, de nada valendo a entrada de Vasco Costa para o lugar de João Amaral, para equilibrar a defesa sadina. Aliás, Vasco Costa seria substituído por Pedro Pinto, por lesão, aos 52 minutos.

Depois só deu Benfica. Os 'encarnados' trocaram os lances de bola parada por jogadas de ataque, beneficiando das incursões dos laterais Grimaldo, na esquerda, e André Almeida, na direita, para se apresentarem em superioridade numérica na linha defensiva setubalense.

Aos 65 minutos, Jonas fez o 15.º golo na I Liga, na sequência de um centro de Salvio, e, aos 68, André Almeida fez o 5-0.

Numa altura em que parte dos 47.632 espetadores já abandonavam o Estádio da Luz, Zivkovic, aos 87 minutos, selou o resultado, com um remate tenso na esquerda, num lance em que o guarda-redes Cristiano não fica isento de culpa, já que não conseguiu segurar a bola e deixou-a passar entre a perna direita e o poste.

Pub