(Lusa) - O treinador do Benfica B, Bruno Lage, revelou hoje não ter sido contactado pelo presidente Luís Filipe Vieira para assumir interinamente o futebol profissional dos 'encarnados'.

Bruno Lage, que falava em conferência de imprensa após o triunfo com o Estoril-Praia (1-0), em jogo da 10.ª jornada da II Liga, adiantou ter tido conhecimento que o seu nome poderia estar na calha por intermédio de mensagens que recebeu de amigos.

"Ninguém do futebol profissional falou comigo. Tive conhecimento pelas mensagens que recebi na quarta-feira, pelas 22:00. Tenho 500 mensagens por responder. Como não tivemos um dia de descanso, tínhamos de preparar o jogo e estivemos longe de perceber o que se passava no futebol profissional", começou por dizer.

O treinador aproveitou o momento para explicar o motivo pelo qual assinou contrato com o Benfica B e salientou que até hoje apenas falou duas vezes com Luís Filipe Vieira.

"Vim para um projeto sólido, com a equipa B, e por estar perto de casa para poder ser pai. Tenho 42 anos, o meu filho tem três e praticamente não o vi nascer por ter ido para Inglaterra com 39 (foi adjunto de Carlos Carvalhal). Desde que estou no Benfica, falei duas vezes com o presidente. A primeira vez foi quando assinei contrato de cinco anos com a equipa B", disse.

Visivelmente bem disposto, Bruno Lage sustentou que o pensamento dele apenas passa pela equipa B e que o cenário de um dia assumir a equipa principal até lhe foi colocado quando assinou contrato.

"Quando vim apresentou-me um projeto sólido e disse-me que a equipa B era um projeto muito bom para mim e que poderia chegar à I Liga. Disse que não vinha para isso, que queria treinar a equipa B, porque tinha a vantagem de poder estar perto de casa. O que me interessa é estar neste projeto, de continuar a evoluir e poder ser pai. Agora, a minha cara ficou estampada em tudo quanto é sítio e já não posso ir beber um café descansado", ironizou.

Pub