Lisboa, 16 mai (Lusa) - A Polícia Judiciária está desde o início da manhã de hoje a fazer buscas na SAD do Sporting, em Alvalade (Lisboa), relacionadas com suspeitas de atos de corrupção, disse à Lusa fonte da PJ.

As buscas envolvem elementos da Unidade nacional de Combate à Corrupção.

Na terça-feira, a Procuradoria-Geral da República confirmou que o Ministério Público estava a investigar um alegado esquema de corrupção relacionado com a compra de equipas de arbitragem no andebol e que envolvia o Sporting.

Numa resposta enviada na terça-feira à agência Lusa a propósito do caso revelado pelo jornal Correio da Manhã (CM), a PGR confirmou que o inquérito é dirigido pelo Ministério Público do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) do Porto.

Segundo a edição de terça-feira do CM, o alegado esquema de corrupção no andebol envolvia "a compra de equipas de arbitragem, quer para os leões ganharem, quer para o Futebol Clube do Porto, com o qual disputaram o campeonato até ao fim, perder" e abrangeu a época de 2016/17, ganha pelo Sporting.

O CM citava conversas e trocas de mensagens de voz entre empresários, na aplicação da internet WhatsApp, e que segundo o jornal "mostram como André Geraldes, hoje diretor de futebol do Sporting, coordenava toda a batota".

O jornal publicou ainda uma entrevista com um empresário - Paulo Silva -, alegadamente intermediário em todo o esquema, que confessou ter alinhado no esquema de corrupção "ao serviço do seu clube do coração [Sporting]" e disse que recebia 350 euros por cada árbitro de andebol que corrompia.

A Federação de Andebol de Portugal (FAP) anunciou na terça-feira que vai denunciar ao Ministério Público (MP) a alegada corrupção a equipas de arbitragem por parte do Sporting, remetendo ainda o processo para o Conselho de Disciplina (CD).

A FAP emitiu um esclarecimento sobre a notícia avançada pelo jornal Correio da Manhã a propósito do alegado esquema de corrupção para favorecer os ‘leões’ na época 2016/17, quando o Sporting conquistou o título de campeão nacional, após 16 anos de jejum.

Pub