Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

Maestro Português, Filipe Cunha, coloca de novo Portugal no mundo da música erudita

IDT-N°/ : 5491
Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

De Portugal vêm boas ondas. Os portugueses, um povo de um pequeno grande país, continua a dar cartas lá fora. Desta vez, a notícia que nos chegou está ligada ao mundo da música, mais precisamente género erudito, música clássica.

O maestro Filipe Cunha, que dirige a Orquestra Filarmónica de Braga, foi apurado para o concurso World Music Competition (Competição mundial da música), na categoria de Direcção de Orquestra, com a Sinfonia n.º 1 de Beethoven, cuja votação decorre via on-line até ao próximo dia 30 de Junho.

Filipe Cunha, natural de Caminha e a residir em Braga, terá encantado um júri difícil, constituído por distintas personalidades da música clássica, maestros e solistas oriundos de vários países com tradições diversas na música, como Rússia, Alemanha, França e Espanha. Para o apuramento foi necessário realizar algumas provas técnicas, feitas on-line, devido à situação mundial actual de pandemia. Mas não houve obstáculo que tivesse detido a música deste português, que acabou por se destacar entre milhares de candidatos de todo o mundo. O concurso, que já conta com 28 edições, tem sede em Viena de Áustria.

Segundo declarações dadas pelo maestro aos meios de comunicação da sua região, Filipe Cunha declarou-se muito feliz e não escondeu o orgulho que é “estar entre os melhores do mundo”. “Fiquei muito contente quando recebi o e-mail por parte da organização do World Music Competition a dar-me conta de que tinha sido seleccionado para a 28.ª edição do concurso na categoria de Direcção de Orquestra e que iria passar à fase seguinte”, recordou o maestro.

“É uma enorme felicidade ter sido seleccionado neste importante concurso mundial, e sinto que este reconhecimento é também uma forma de dar visibilidade à música clássica em Portugal trazendo notoriedade à nossa região e à cidade de Braga”, disse, garantindo que a bandeira nacional é sempre ostentada onde quer que actue.

Os candidatos passam agora, pelo escrutínio do público em geral (além do júri) que terá possibilidade de votar naquele que preferem. Para prosseguir este maestro minhoto conta, assim, com o apoio do público, numa votação que decorrerá até ao próximo dia 30 de Junho. Para passar às semifinais e consequentemente à final, que decorrem entre os dias 17 e 19 do próximo mês de Julho. Este maestro minhoto conta com o apoio do público. Em comunicado Filipe Cunha deixa um apelo: “Sei que tem um custo, mas queria fazer o meu apelo ao público, aos bracarenses e aos minhotos para que me ajudem a seguir em frente neste concurso votando em mim às vezes que puderem porque seguindo em frente estou convencido que sairemos todos a ganhar pelo prestígio internacional deste concurso”.

LIa Coelho
Author: LIa Coelho
Colaboradora
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.

Lia Coelho, nascida e criada na zona de Coimbra, foi nessa mesma cidade que estudou jornalismo. Jornalista de formação e curiosidade percorreu a ânsia da profissão e trabalhou em vários jornais em Portugal e Macau. 

Entre viagens pela Ásia dedicou-se ao ensino da língua inglesa, mas é em português que melhor se sabe exprimir, que gosta de contar histórias e dizer umas coisas. 

Decidiu regressar à Europa e está há cerca de quarto anos na Alemanha, agora sediada em Berlim. 

Textos deste autor:

RECOMENDADOS PARA SI

Últimos Tweets

OE2021: BE diz que orçamento “é de rotina”, mas assume compromisso em caso de mudança https://t.co/Le1JvWfcWy
Trabalhadores da Lusa exigem suspensão de corte de subsídio ou avançam para greve https://t.co/pzFgCRiyFL
Vítor Aguiar e Silva é o vencedor do Prémio Camões 2020 https://t.co/fTy4mS4wAz
Follow Jornal das Comunidades on Twitter