Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa

O surto de Covid-19 mudou a vida de todos nós. Abandonámos as ruas, saímos das lojas e começámos a trabalhar a partir de casa. Os aviões foram obrigados a ficar em terra, os restaurantes e as lojas foram fechados e os governos ordenaram aos seus cidadãos que ficassem em casa, em quarentena e com distanciamento social para abrandar a propagação do vírus. Isto foi muito claro. O que não ficou claro foi o profundo impacto que isto teria na saúde mental.

O corte maciço e repentino das interações pessoais deu início a emoções significativas e intensas ao longo das semanas e meses que se seguiram.

Esta exposição é a interpretação de João Carlos sobre as várias fases de isolamento e respetivas emoções.

Semana Um: Ajuste e ansiedade. Um período de adaptação ao ficar e trabalhar em casa 24 horas por dia, 7 dias por semana. O medo é evidente e a incerteza é abundante, os quais levam ao aumento dos níveis de ansiedade.

Semana Dois: Tédio e frustração. À medida que as pessoas lidam com um mundo totalmente alterado, sentimentos de desespero, perda, frustração e até mesmo tédio podem se instalar. A vida voltará ao normal?

Semana Três e Quatro: Raiva e paranóia. À medida que a curva se torna mais plana a realidade de um cenário pior torna-se distante. As pessoas começam a questionar se a pandemia é uma farsa, se as medidas foram demasiado drásticas e criticam os seus líderes políticos. As pessoas começam a manifestar exteriormente a sua raiva, exigindo os seus direitos e saem às ruas para marchar pacificamente ou destruir propriedades.

Semana Cinco: Aceitação e adaptação. As pessoas começam a aceitar o seu "novo" modo de vida, que agora inclui máscaras, desinfetante de mãos, distanciamento de 2 metros e que exclui grandes encontros, abraços e beijos. Embora alguns possam achar fácil gerir as suas emoções e adaptar-se, outros ainda podem sofrer silenciosamente sob uma imagem externa de aceitação.

A exposição estará aberta todos os dias, das 11h00 às 22h00. A entrada é gratuita.

Fotografias oficiais aqui

Série de ­­­­­­fotografias premiada por:

IPA – Internacional Photography Awards e PX3 – The Prix de La Photography, Paris.

Impresso por Koy Lab


SOBRE O ARTISTA

Nascido em Nova Iorque, filho de Portugueses, João Carlos é um fotógrafo versátil de moda e fine art que se desloca entre Nova Iorque e Lisboa.

Embora tenha manifestado interesse em ter uma câmara “de verdade” aos cinco anos, as suas explorações artísticas começaram com a pintura e as artes plásticas que o levaram a estudar no Instituto de Arte e Comunicação Visual Ar.Co, em Lisboa.

Neste trabalho de 15 obras, João contou com Fabrícia Pereira e Rodrigo Castelhano, amigos e modelos, para ajudar a criar estas imagens e para divulgação do tema da saúde mental.

Pág. 1 de 11

EU APOIO O Luso.eu

Últimos Tweets

Festival Sonic Blast regressa em 2021 https://t.co/j7xtVPH5d3
Dia da Floresta Autóctone enriquece Mata do Camarido https://t.co/n50iaXSiEI
RESTRIÇÕES AOS RESTAURANTES PREJUDICAM SARRABULHO DE PONTE DE LIMA! https://t.co/EkYjfSyG9t
Follow Jornal das Comunidades on Twitter