O maior campeão ficou fora do pódio

ID:N°/ Texto: 4233

Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Esta semana um jovem guineense ficou mundialmente conhecido por abdicar da tentativa de superar o seu recorde pessoal, nos mundiais de 5000 metros de atletismo, para amparar e levar até á meta o atleta de Aruba que enfrentava grandes dificuldades físicas e cambaleava debruçado sobre si próprio, esgotado pelo peso do calor e da humidade que se faziam sentir. O mundo inteiro curvou-se de admiração perante o seu gesto. Bem, o mundo inteiro não.

Para os guineenses e para quem os conhece, este gesto tem tanto de nobre como de comum na Guiné-Bissau. O guineense é assim mesmo. Generoso, cuidadoso, preocupado com o semelhante e sobretudo muito solidário. Como podia o Braima Dabó, nascido e criado em Catió, sul do país, agir de outra maneira? Num país onde as famílias enfrentam grandes dificuldades económicas e onde tudo se alcança com esforço, a entreajuda, o cuidado com o outro, a partilha, são parte do dia a dia.

Ninguém passa fome enquanto houver comer em casa do vizinho. Ninguém dorme na rua enquanto houver um palmo de chão na casa ao lado para por mais uma espuma onde descansar os corpos cansados, ninguém anda descalço enquanto houver uns sapatos a mais lá em casa. Mesmo que sobeje um pouco de pé ou de sola. Onde a necessidade é muita, o engenho passa na Guiné-Bissau por relações sociais mais aprofundadas. Por afectos.E foi isso que vimos nas imagens televisivas que deixaram muita gente de lágrima no canto do olho. O jovem atleta, a cumprir um sonho de vida com esta participação nos mundiais de atletismo, a tentar dar o seu melhor apesar das fortes temperaturas que foi encontrar, passa por um rival em dificuldades, pára, ampara-o, carrega-o até à meta apesar de ele próprio se sentir esgotado e nas declarações do final da prova, acha que fez o que qualquer um faria... Quem nos dera que todos pudéssemos ter um pouco do Braima Dabó em nós. O mundo seria bem melhor. A Guiné-Bissau não ganhou um lugar no pódio desta prova mas mostrou ao mundo que tem um jovem herói que merece a maior das medalhas de ouro.

Joana Benzinho
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.
Textos deste autor:

RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimos Tweets

Aulas na Secundária de Caminha transferidas para contentores https://t.co/SjYOR2ki1C
CAMINHA E VILA PRAIA DE ÂNCORA RECEBEM ATELIÊ “CREACTIVITY” https://t.co/WhPolypEmX
CEIAS DE NATAL NA FEITOSA (Ponte de Lima) e DRANCY (Paris)Esgotadas https://t.co/qbl63DsfWp
Follow Jornal das Comunidades on Twitter