Um espaço comercial com um século de história
Situado no único piso dum edifício de transição de finais do século XIX para inícios do XX, reformado e alterado estruturalmente ao longo da sua existência, o imóvel mantém contudo um aspecto de construção antiga, embora modesta.

Mas, da sua função e propriedade, ressaltam algumas informações históricas que julgamos merecedoras de registo.
O edifício foi até meados do século passado, a Adega particular do Padre Dr. João Inácio de Araújo Lima, (1868 – 1941) Limiano ilustre com desempenho de funções pedagógicas e políticas na capital durante longos anos. Em lisboa lecionou Francês no Liceu Camões e foi deputado pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo.

A sua morada situava-se defronte da Mercearia Tradicional, hoje Residência Paroquial, pois por disposição testamentária do Dr. Araújo Lima, a tal função se destinava a habitação. Esta, seria recuada cerca de um metro, com o alargamento da Rua do Souto cerca de 1923 – 1925, para facilitar trânsito automóvel e de peões, face á então pequena largura que a caracterizava.

Nesse edifício da mercearia situava-se o armazenamento do precioso néctar para as refeições do sacerdote e político, o qual satisfazia as suas refeições bem como hóspedes ilustres, como o poeta e diplomata Antonio Joaquim de Castro Feijó (1859 – 1917) em tempo de férias.

O nosso representante diplomático na Escandinávia, pelo menos duas vezes foi recebido na actual residência do Pároco da sede do concelho. A mais saliente visita ao velho conterrâneo aconteceu a 18,19 e 20 de Setembro de 1909, por ocasião das Feiras Novas, programa preenchido com idas também aos solares de Bertiandos e Calheiros, de acordo com correspondência do poeta para amigos. E, era deste espaço que o verdasco saído dos pipos e caído em canecas, atravessava a rua pela mão da serviçal e chegava á mesa para o patrão e o Embaixador na longínqua Suécia.

No ano de 1956, a Comissão Fabriqueira de Santa Maria dos Anjos (Ponte de Liam), na qualidade de proprietário, arrendou a antiga Adega do Padre Dr. Araújo Lima, a um outro saudoso Pontelimense: o comerciante Joaquim Amorim (Malafaia). Homem dedicado ao negócio assim o recordam os colegas, bem como os admiradores pelo desempenho de dirigente em instituições locais, designadamente como Presidente da Associação Desportiva “ Os Limianos”, Presidente da Comissão de Festas / Feiras Novas, e da Fábrica da Igreja Matriz (Comissão Fabriqueira). Muitas foram as tertúlias na sua Mercearia, de populares a ilustres, como autarcas, párocos, fidalguia e agricultores.

Pub