Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

França/Ataques: Detido um homem suspeito de ter contactado com o atacante

Convide os seus amigos

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 


(Lusa) - As autoridades francesas detiveram um homem suspeito de ter contactado com o autor do ataque que na quinta-feira matou três pessoas numa igreja católica de Nice, em França, segundo fonte judicial.

De acordo com a fonte, o homem, de 47 anos, é suspeito de ter mantido contacto com o agressor e foi levado sob custódia policial na noite de quinta-feira.

O autor do ataque é um tunisiano de 21 anos que chegou a França no dia 09 de outubro, vindo da Itália. O detido é suspeito de ter estado em contacto com ele na véspera dos acontecimentos, afirmou a fonte judicial, confirmando uma informação divulgada pelo jornal Nice-Matin.

Três pessoas morreram, uma delas degolada, no interior da basílica de Nossa Senhora de Nice, num ataque perpetrado na quinta-feira por um homem armado com uma arma branca.

O agressor, que foi rapidamente detido pela polícia, foi ferido a tiro com gravidade e transportado para o hospital.

Segundo fonte próxima do inquérito, o atacante gritou ‘Allah Akbar’ (“Deus é grande”).

O ataque ocorreu duas semanas depois da decapitação de um professor na região parisiense, assassinado depois de ter mostrado caricaturas de Maomé numa aula sobre liberdade de expressão.

Numa homenagem ao professor, Samuel Paty, o Presidente francês, Emmanuel Macron, reiterou o compromisso de França com a liberdade de expressão, incluindo a publicação de caricaturas

As declarações do chefe de Estado francês suscitaram contestação em vários países muçulmanos, incluindo manifestações e boicotes aos produtos franceses.


RECOMENDADOS PARA SI

EU APOIO O Luso.eu

Últimos Tweets

CCP pede “melhoria do processo eleitoral” português https://t.co/Mfp9We31xv
Um arco-íris num dia cinzento https://t.co/Rojru8lHEb
Gulbenkian distingue projeto de investigação da UC em computação quântica https://t.co/4KtUVSxDRE
Follow Jornal das Comunidades on Twitter