Juros do crédito à habitação em máximos dos últimos três anos

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

(Lusa) - A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação subiu em julho para o máximo dos últimos três anos, atingindo os 1,087%, acima da taxa de 1,081% em junho, revelou o Instituto Nacional de Estatística.

Aquela taxa de juro chegou aos 1,089% em junho de 2016, descendo para 1,066% no mês seguinte e, desde essa altura, só em julho deste ano o INE registou taxa mais elevada.

Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro foi 1,305% em julho passado, acima dos 1,267% do período precedente.

Para o destino de financiamento 'aquisição de habitação', o mais relevante no conjunto do crédito à habitação, a taxa de juro implícita para o total dos contratos subiu para 1,109%, mais 0,6 pontos base do que em junho, e nos contratos celebrados nos últimos três meses a taxa de juro para esse destino de financiamento aumentou 3,4 pontos base, para 1,281%.

Considerando a totalidade dos contratos, o valor médio da prestação vencida subiu um euro, para 248 euros, e deste valor, 49 euros (20%) correspondem a pagamento de juros e 199 euros (80%) a capital amortizado.

Em julho, o capital médio em dívida para a totalidade dos contratos subiu 39 euros face a junho, fixando-se nos 52.954 euros.

Para os contratos celebrados nos últimos três meses, o montante médio do capital em dívida fixou-se em 100.655 euros, mais 905 euros do que em junho.


RECOMENDADOS PARA SI

Eventos este Mês

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Últimos Tweets

Luís Montenegro em Bruxelas ESTAR NO LUGAR CERTO, COM AS PESSOAS CERTAS https://t.co/blv2z7xqmJ
CERVEJA JUNTA 300 BRASILEIROS EM PONTE DE LIMA https://t.co/NwJXDoXdPG
Meixão, o ouro do rio Minho https://t.co/AaOORb3lU6
Follow Jornal das Comunidades on Twitter