A convite de um verdadeiro amigo, um português com uma longa e linda história em terras Bruxelenses, fui passear, cantar e alegrar os nossos honrados portugueses residentes em terras belgas. De quinta a segunda (2 a 6 maio de 2019), cinco dias repletos de alegria, convívio e harmonia inesquecíveis.

Na quinta-feira à minha chegada foi dia de uma boa recepção na casa do meu amigo e família, que me primorou com uma excelente ceia, um manjar de “comer e morrer por mais”. À noite foi ocasião de reencontrar amigos, no café Portugal em Bruxelas, onde encontrei o Albano, grande amigo e proprietário do estabelecimento; o Tony, velho amigo e grande técnico informático e da reportagem, fotógrafo oficial das altas entidades que visitam este país baixo, em especial, o Parlmento Europeu e, seguidamente, me foi apresentado o representante da CAP em Bruxelas, Duarte Mira acompanhado pelo competente e profissional António Buscardini, mentor dos grandes eventos e outros talentos por estas localidades.

Como não podia deixar de ser, o meu cicerone, António Fernandes, digno representante do grupo SolMinho, pega na concertina e eu puxei pela voz que Deus me deu, e, aí vai, a ver o que sai: e não é que sairam mesmo quadras individuais dedicadas aos presentes que imediatamente se lhes alterou o semblante para sorriso rasgado, de admiração e alegria?!… Como bem diz o nosso povo: onde há um português, há alegria para mais de dez…

Na sexta-feira, o tempo era pouco mas, mesmo assim, ainda se conseguiu dar uma volta e visitar uma igreja, que me encheu de encanto, a mesma que serve a comunidade católica portuguesa, onde se reune desde meados do anos sessenta, comunidade de Emaús, que celebra neste ano, as suas honrosas Bodas de Ouro, nos seus 50 Anos de bons e leais serviços pastorais e sociais.

Assim se aproximou a hora de ir cantar e encantar, ao restaurande Beirão (antigo Belenenses) onde o Sr. Graciano, proprietário do estalecimento e os restantes funcionários nos presentearam com um excelente jantar bem rerrado com vinho de Portugal, e de sobremesa; pera bebada, que delícia que estava, foi mesmo fenomenal. De seguida cumprimos o programa; o “embaixador da música popular portuguesa” em Bruxelas - António Fernandes - puxa da sanfona, que também é concertina, começa a dar aos foles e cá, o Amigo Loureiro de Barcelos, atira logo com cantigas de improviso, inaltecendo a casa, a comida e todos os presentes, como sempre, deixando as pessoas contentes, alegria expressa também nos aplausos. Seguidamente, canto algumas músicas, do meu último trabalho, que são letra e música da minha autoria, como por exemplo: “Haja alegria quero cantar”, “emigrantes, emigrantes bem vindos à Terra Mãe”, entre outros. Foi também o momento, cheio de emoção e magia, ao apresentar e lançar o meu CD em Bruxelas. Pequena cerimónia, cheia de sentido, que me deixou encantado. E assim se cantou e se alegrou o povo presente pela noite dentro, deixando saudades a muitos e a salutar promessa de voltarmos, com a mesma alegria e motivação.

Sábado, depois de fazermos uma visita cantada ao “O Melhor de Portugal, em Bruxelas” aproximou-se a hora de irmos fazer mais um espectáculo, desta feita, no restaurande e Bar “La Caipirinha”, onde mais uma vez fomos bem recebidos, pela sua proprietária, a quem coube fazer as honras da casa e, bem acolhidos e acarinhados por todos os presentes. Cantei em português, francês e inglês, para saudar aquela gente, cada qual na sua língua e houve uma reciprocidade extravasante de alegria com uma, de muitas mesas repletas de gente boa, da embaixada do Brasil. E como já estávamos a entrar na noite de domingo, que era o dia da mãe, cantei também aí, a minha canção que tem sido um êxito internacional: “a minha mãe é mais bonita” e, como todos compreenderam, tão bem, a mensagem que eu procuro tansmitir com esta canção; que bom momento, naquele lugar e com aquela simpática gente.

Acabamos tarde, mas ainda deu para fazer a vontade a um amigo, que nos pediu para passar no café Lisbonne, onde fomos recebidos e acolhidos carinhosamente pelo seu proprietário, o TóZé e alguns clientes que souberam da nossa visita e quiseram esperar por nós. Ficamos contentes com o acolhimento, mas o Tózé e os presentes ficaram deslumbrados e extasiados com o nosso mini- concerto; ficou a promessa de agendarmos um espectáculo para o seu estabelecimento. Como já era  domingo voltei a cantar a canção da mãe e o meu amigo Tózé, ficou com ela gravada, em direto e em vídeo, mas acima de tudo, gravada no coração!

O domingo 5 de maio, foi em cheio, último dia de “O Melhor de Portugal, em Bruxelas”. Começamos na associação 10 de Junho, a cantar para aquela gente, que ficou ficou contente e para todo povo presente, nos restantes  expositores, deixando a nossa semente de animação e festa. Na tenda de presuntos, enchidos e queijos do Mondego, cantei, até, bem cedo! Os senhores expositores ficaram encantados, por ter gostado de tão expressiava iniciativa. E assim, sucessivamente, cantamos para tanta gente, para quem estava ao lado e quem aparecia na frente. E foi mesmo de frente que nos apareceu, Assunção Cristas, presidente do CDS/PP, acompanhada pelo seu braço direito, Nuno Melo, eurodeputado. E claro que lhe cantamos um fado, bem acompanhado pela concertina, cantado, muito bem improvisado, a tão nobres entidades, adequado às pessoas e ao evento, argumentando o assunto, para que não fosse só passa-tempo. Gostaram muito e retribuiram com agradecimentos gestuais, com beijinhos, abraços e carinhos sensacionais; para o ano haverá mais! 

Parabéns à organização de  “O Melhor de Portugal, em Bruxelas” na pessoa do António Buscardini – Communications e Albano Figueiredo, assim como a todos que convosco colaboraram.  Com votos de que na próxima edição de 2020 possa ser vosso convidado, com a minha equipa, para aí cantar e alegrar os nossos portugueses em diáspora, com o compromisso de que farei uma canção dedicada ao evento e aos portugues que tão bem vistos estão, por terras belgas. Pois, o nosso poeta, Fernando Pessoa diz no seu poema: “cumpriu-se o mar e o império se desfez,… senhor, falta cumprir-se Portugal.”

Viva, viva Portugal com as suas lealdades e vivam os portugueses das nossas comunidades!

©Amigo Loureiro de Barcelos,
O artista do Minho que alegra o mundo a cantar - Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Pub