Foram vários milhares de pessoas que acederam ao convite do Eurodeputado Nuno Melo, da CAP (Confederação dos Agricultores de Portugal) e com o apoio da Embaixada de Portugal na Bélgica, para participar no grande evento “O melhor de Portugal, em Bruxelas” que decorreu nos dias 16 e 17 de Junho, no emblemático Parc du Cinquentenaire.

E já vamos na sexta edição que mobilizou ainda mais participantes, mas também expositores/produtores, que conseguem nos 2 dias de feira promover os seus produtos – vinhos, queijos, enchidos, azeite, méis, frutas, legumes, produtos de cortiça… Como em outras edições estiveram também representadas algumas entidades culturais, sociais, desportivas: Caixa Geral de Depósitos, Casa do Benfica de Bruxelas, La petite portugaise - Livraria, entre outras.

Na inauguração oficial estiveram presentes: o Comissário da Investigação, Ciência e Inovação – Carlos Moedas; o Comissário europeu da Agricultura e Desenvolvimento Rural – Phil Hogan; a presidente do CDS/PP – Assunção Cristas; o Eurodeputado - Nuno Melo; o Embaixador de Portugal em Bruxelas – António Alves Machado; o Cônsul de Portugal em Ghent – Bruno der Joost; Eduardo Oliveira e Sousa – presidente da CAP, entre outros amigos que sempre estiveram nesse momento de cumprimentos aos que vieram para integrar o numero de expositores. De realçar foi o grande interesse em imortalizar os bons momentos com muitas fotos e reportagem vídeo; subjacente está a vontade em promover e divulgar, cada vez mais, o evento de todos e para todos!

As tradicionais tendas gastronómicas com os melhores “comes e bebes”, sempre lotadas, fizeram o pleno, tanta foi a adesão popular à diversidade e à qualidade das nossas iguarias, desde a sardinha assada, entrecosto, porco no especto, leitão, caldo verde, tudo bem regado com os melhores vinhos regionais, passando pelas deliciosas sobremesas onde estava incluído o tradicional pastel de nata e um café bem português. No largo, dois postos de cervejaria para abastecimento! De realçar também foi o aspecto visível de ordem pública e limpeza.

A par da mostra de produtos agroalimentares, o programa cultural foi intenso e diversificado. No sábado e no domingo, com artistas vindos de Portugal - Cláudia Martins e as suas cantigas típicas e Sául o rei da cantiga com o tal bacalhau e alho; David Antunes & The Midnigt Band; Berg e outros artistas da comunidade local. Também estiveram os Ranchos folclóricos da nossa diáspora – da APEB e o seu rodopiar alentejano; Emaús com o entusiasmo e as cores garridas do Minho; Grupo Etnográfico Ribatejo, com a alegria das danças e trajes do Ribatejo.

Na ala do espaço gastronómico, surgiam as vozes timbradas das concertinas e da cantiga solta! SolMinho andou por ali e animou a festa com entusiasmo e alegria. As pessoas deram sinais de gostar muito e participavam também a contribuir com bebidas para os cinco tocadores presentes. Com as concertinas tocaram ainda a pandeireta e o cavaquinho, também apreciado pelo amigo Nuno Melo, que se manifestou agradado pelo facto de haver em Bruxelas uma escola prática de instrumentos ligados à música tradicional portuguesa; um atelier de música que espera estar representado no cartaz da próxima edição desta feira e festa tão apreciada, também pela sociedade de acolhimento.

Este é de facto um evento de grande referência para a comunidade Portuguesa e constitui não só uma oportunidade de adquirir alguns bons produtos do país de origem, mas também um momento de grande convívio e animação. Ao que se juntam outras nacionalidades em numero crescendo de ano para ano. Pelos sotaques e línguas, atraídos pelo que temos de muito bom, “o Melhor de Portugal”, já nos conquistou a todos; até para o ano se Deus quiser!

Pub