domingo, 26 junho 2022

Dinamite

Jun. 21, 2022 Hits:45 Opinião

UM NOVO DEUS (Crónica)

Jun. 21, 2022 Hits:88 Crónicas

A cidade desperta

Jun. 15, 2022 Hits:175 Crónicas

Quantos dias tem a semana

Jun. 05, 2022 Hits:366 Crónicas

Aventuras (Crónica)

Jun. 02, 2022 Hits:164 Crónicas

A Outra Cena da Filosofia

maio 30, 2022 Hits:170 Crónicas

Na terra dos gnomos

maio 30, 2022 Hits:517 Crónicas

O Futuro é a Europa

maio 26, 2022 Hits:429 Opinião

Do Dia da Europa aos desa…

maio 25, 2022 Hits:100 Opinião

Óbito/Maria Carrilho: Velório na terça-feira a partir das 17:00 na Basílica da Estrela em Lisboa - PS





A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


O velório da professora universitária, antiga deputada e dirigente socialista Maria Carrilho vai decorrer a partir das 17:00 de terça-feira, na Basílica da Estrela, em Lisboa, disse hoje à agência Lusa fonte oficial do PS.

Segundo a mesma fonte do PS, a cremação está prevista para as 12:30 de quarta-feira.

Maria Carrilho morreu esta madrugada aos 78 anos vítima de leucemia no Hospital CUF Tejo, em Lisboa, onde se encontrava internada há algum tempo.

Professora Catedrática do ISCTE, Maria Carrilho licenciou-se em sociologia pela Universidade de Roma, tendo feito doutoramento em sociologia política pela Universidade Técnica de Lisboa, e era coordenadora do mestrado em Estudos Europeus no ISCTE.

Maria Carrilho esteve na primeira linha política com a eleição de António Guterres para o cargo de secretário-geral do PS em 1992, tendo pertencido ao Secretariado Nacional deste partido.

Especialista em assuntos de Defesa Nacional e em Assuntos Europeus, foi eleita eurodeputada pelo PS em 1999, funções em que permaneceu até 2004.

Ao longo da sua vida, Maria Carrilho publicou várias obras, destacando os "Novos media, novas políticas?" (2002); "Portugal no contexto Internacional: Opinião pública, defesa e segurança” (1998);, "Segurança e Defesa na Opinião Pública Portuguesa" (1995); "Democracia e Defesa", (1994), "Mulheres e Defesa Nacional", (1992); "Forças Armadas e Mudança Política em Portugal no Século XX" (1985); "Sociologia da Negritude" (este primeiro publicado em Roma em 1973); e “Portogallo, La Via Militare", Milão (1975).

Numa nota publicada na página do PS na Internet, os socialistas referem que a professora universitária Maria Carrilho “era uma personalidade ímpar, que se destacou pela dinâmica

“Foi a primeira mulher em Portugal a dedicar-se a temas da Defesa e das Forças Armadas, tendo enriquecido grandemente esta área de estudos. Deixa-nos um importante legado sobre a relação entre a Europa e os Estados Unidos no domínio da Defesa e sobre a relação das Forças Armadas com a sociedade civil”, aponta o PS.

No percurso político da professora universitária, o PS salienta que Maria Carrilho deixa “a grata memória de alguém que abriu novos horizontes, pelo seu longo percurso de vida dedicado à causa pública, que iniciou ainda durante a ditadura do Estado Novo, e que a levou ao exílio em Itália”.

“O PS assume o compromisso de honrar a obra e a memória de Maria Carrilho, do mesmo modo como a mesma se comprometeu com a Europa e com a luta por um futuro europeu para Portugal. À sua família e amigos, o PS endereça as suas mais sentidas condolências e manifesta o seu mais sentido pesar”, acrescenta-se na mesma mensagem.

Já Marcelo Rebelo de Sousa, numa publicada no portal da Presidência da República, refere que Maria Carrilho como fundadora da sociologia militar em Portugal”.

“Com um percurso académico notável, aliado a uma relevante experiência política como deputada à Assembleia da República e ao Parlamento Europeu, conseguiu uma articulação virtuosa entre pensamento e ação, vanguardismo analítico e coerência ideológica, em especial nas áreas a que dedicou a sua vida, a Defesa, os Negócios Estrangeiros e os Direitos Humanos”, destaca o chefe de Estado.

Para o Presidente da República, “fruto desse percurso, a professora Maria Carrilho deixa uma obra incontornável sobre o estudo das relações civis e militares no século XX português, sobre o papel de Portugal nos sucessivos contextos internacionais, sobre o papel da mulher nas Forças Armadas, e ainda um contributo singular para uma avaliação sistemática da opinião pública às grandes questões da segurança e defesa no Portugal democrático”.

“O Presidente da República evoca a sua memória e envia condolências à família e amigos da professora Maria Carrilho”, lê-se na mensagem publicada no portal da Presidência da República.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicione o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

Temos 1004 visitantes e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?