(Lusa) - O balanço do ataque ao mercado de Natal em Estrasburgo, na noite de terça-feira, foi revisto hoje de manhã pela prefeitura de Bas-Rhin, que deu conta de dois mortos, sete feridos graves e sete feridos ligeiros.

O presidente da câmara de Estrasburgo, Roland Ries, tinha confirmado na noite de terça-feira um balanço de quatro mortos avançado pela polícia, antes de o ministro do Interior, Christophe Castaner, numa conferência de imprensa, na madrugada de hoje, ter revisto a contagem de vítimas mortais para três.

O procurador de Paris Rémy Heitz, cujo departamento antiterrorista lidera a investigação sobre o ataque de Estrasburgo, dará hoje uma conferência de imprensa às 12:00 locais (menos uma hora em Lisboa).

O magistrado, que na terça-feira se deslocou ao local do ataque, deverá fazer um ponto de situação sobre as investigações, numa altura em que a polícia procura localizar o autor do ataqueo, um homem de 29 anos, referenciado por radicalização islâmica e por delitos comuns.

Segundo fontes da investigação, foram mobilizados 620 efetivos da polícia e ‘Gendarmeria’ na operação de busca.

As forças de segurança montaram uma operação de caça ao homem para tentar deter o autor do ataque, que ficou ferido numa troca de tiros com um soldado antes de abandonar o local.

O Governo francês elevou o nível de alerta no país para “emergência por atentado”, com um reforço de controlo nas fronteiras, aumento de segurança nos mercados de Natal e mobilização de meios envolvidos no dispositivo antiterrorismo.

A cidade de Estrasburgo, localizada no nordeste da França, junto à fronteira com a Alemanha, acolhe a sede do Parlamento Europeu.

Pub
 


Pub