(Lusa) - O proprietário de restaurante assassinado durante um assalto ao estabelecimento na manhã de quarta-feira, a sul de Joanesburgo, tinha nacionalidade portuguesa, revelou hoje fonte da secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas.

Roberto Carlos da Silva, de 43 anos, "tinha nacionalidade portuguesa" e a "infeliz ocorrência" está a ser acompanhada pelo Consulado Geral de Portugal em Joanesburgo "desde a primeira hora, tendo apresentado condolências à família enlutada".

O assalto ao restaurante Lusitano, naquela cidade sul-africana, ocorreu cerca das 09:30 locais (menos uma hora em Lisboa), quando um dos empregados se preparava para abrir o restaurante e foi confrontado por um indivíduo armado, disse à Lusa o porta-voz da polícia sul-africana (SAPS, na sigla em inglês), Jeff Phora.

"O empregado conseguiu fugir e o suspeito entrou depois no escritório onde se encontrava o dono do restaurante, Roberto Carlos da Silva, que, após um confronto físico foi morto a tiro", disse o agente policial, sem precisar a nacionalidade da vítima.

O cidadão português foi morto com "um tiro na cabeça", avançou Jeff Phora.

A polícia da esquadra local de Moffat View está a analisar o vídeo do homicídio gravado pelas câmaras de segurança instaladas no restaurante e acrescentou que "o assaltante é um homem africano que aparenta ter entre 30 e 40 anos".

O Lusitano, no bairro de Regents Park, é um ponto de encontro popular da comunidade lusófona e sul-africana no sul de Joanesburgo há pelo menos 40 anos.

Pub


Pub